Wallim: Política personalista de Bandeira rachou a Chapa.

Compartilhe esta notícia
Rádio
Tupi – Wallim Vasconcellos, atual vice de patrimônio, e Luiz Eduardo Baptista,
o Bap, ex-vice de marketing, na reunião desta quinta-feira, queriam que o
presidente Eduardo Bandeira de Mello abdicasse da tentativa de se reeleger.
Isso não aconteceu, e o racha está consumado. Assim, Wallim enfrentará Bandeira
no pleito previsto para novembro, e Rodolfo Landim será seu vice. A reportagem
da Super Rádio Tupi bateu um papo exclusivo com o candidato Wallim Vasconcellos
durante o Giro Esportivo desta quinta-feira.
Wallim
explica como surgiu a ideia de se lançar como oposição à Bandeira de Mello
“Na
verdade o que houve foi um desvio do que foi planejado lá em 2012 na
candidatura do Eduardo Bandeira de Mello, que foi uma indicação minha. A
proposta sempre foi que o grupo é mais importante que qualquer pessoa. Essa
idéia foi se perdendo com o passar do tempo e hoje nós achamos que a gestão do
Flamengo é personalista, na figura do Eduardo. O nosso grupo e nossos
apoiadores, entendemos que para o Flamengo superar as dificuldades dos próximos
anos com essa crise no Brasil vai precisar de todo apoio de dentro e fora com
nossos contatos nos mais altos níveis do governo.”
Wallim
afasta qualquer chance de ser impugnado novamente
“De
acordo com a anistia que foi dada aos sócios no final de 2011 eu tenho 40 anos
de vida associativa e isso já foi atestado pela comissão eleitoral.”
O
dirigente confirma os nomes que vão apoiar sua candidatura
“O
Gustavo Oliveira (vice de marketing), o Bap (Luiz Eduardo Baptista – ex-vice de
marketing), o Tostes (Rodrigo Tostes – vice financeiro) e o Landim (Rodolfo
Landim – vice de planejamento), que será vice presidente da Chapa. Eles podem
sair das vice presidências, se o presidente achar necessário exonerar esses
nomes ele pode fazer sim. No meu caso, como vou disputar o cargo de presidente,
já avisei que vou entregar o a vice presidência de patrimônio na próxima
reunião do conselho gestor.”
Wallim
aponta uma reforma na gestão do futebol como principal ponto a ser atacando no
triênio 2016/2018
“Precisamos
ter um novo modelo na gestão do futebol, inclusive o Flamengo está atrasado. E
a gente viu que não é assim que funciona e o Brasil está nessa situação que
todo mundo ta vendo. A gente precisa mudar a gestão do futebol e temos que
trazer pessoas que entendam do assunto. Vamos buscar ágüem de fora para uma
nova forma de pensar o futebol, formar um grupo, uma nova estrutura técnica.
Essa primeira ação vai ser ai para ver se alavancamos a gestão do futebol
rubro-negro.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here