120 anos de amor incondicional.

8

ELEIÇÕES
FLA – São 120 anos de paixão incontida por você. Sempre lhe amei, mesmo antes
de lhe conhecer, quando já se passavam 68 anos de sua existência. Em cada um daqueles
dias de glória anterior, eu estive ao seu lado. Estive embarcado na Pherusa;
renegado sob a liderança do Borgerth; na cabeçada histórica do Valido; nos gols
do Babá e do Dida; em tudo que não presenciei, mas senti com a intensidade
amplificada do nosso amor.
Transcendi
a essência desse amor pela simples razão de sua aura vitoriosa numa vida
precedente a essa que iniciei em 1956 e se abraçou sem pudor a você em 1963,
num Maracanã superlotado, ante os olhos surpresos de um pai tricolor. Sou um
orgulhoso apaixonado pelos seus feitos, pelas inúmeras vitórias comemoradas em
conjunto, em gramados, em quadras, em águas.
Sou
feliz pela sua escolha. Tantos milhões já escolhidos, outros tantos a escolher
e você me identificou nessa multidão de almas passadas, presentes e futuras,
para me trazer a felicidade de vestir o seu Manto Sagrado, de cantar seu hino,
de chorar de alegria na esmagadora maioria de sucessos e prantear a tristeza
efêmera de seus insignificantes e fortuitos insucessos.
Estamos
juntos desde a sua fundação, num dia que não foi o de hoje. Viramos amantes
inseparáveis desde aquele 15/12/1963. Desde então foram quase 52 anos de vida
terrena prazerosa, numa conjugação de amor, paixão e êxtase. A minoria
incrédula, a nos cercar de inveja e de ciúme, não consegue dimensionar o
tamanho de nossa força, a imensidão de nossos limites, a extensão de nosso
orgasmo.
Amalgamados
e juntos há décadas, somos hegemônicos, soberanos, absolutos, implacáveis e,
sobretudo, democráticos. Não temos raça, credo, cor ou qualquer outra distinção
a separar esse amor incondicional. Levitamos de felicidade plena sobre os
comuns, do alto de nossa condição de Imensa Nação, prenhe de Liberdade,
Igualdade e Fraternidade. Estamos de luto, o momento é ruim. Paris chora seus
mortos, o mundo pranteia suas vítimas, nos abraçamos em solidariedade nesse dia
tão especial.
Viveremos
para enxergar dias melhores, onde o mundo terá uma população harmônica e
fraterna, independentemente das preferências limitantes. Não importam os
fratricidas, os fanáticos, os idiotas da objetividade. A humanidade será tão
longeva quanto o nosso eterno amor e muito maior do que os xiitas de lá e
daqui. Contra eles, tudo e todos, como um carma antes mesmo do nada, permaneceremos
a maioria, somos a Imensa Nação Rubro-Negra.
Flamengo,
EU TE AMO!
Ontem,
Hoje e Sempre.
Eles
passarão. Eu passarinho.
Nós,
URUBUS. Nosso amor, Fênix.
MAGIA
NELES!
Alexandre
Fernandes

COMENTÁRIOS: