Flamengo estuda projeto de Arena por R$ 30 milhões.

19
UOL
– A
Olimpíada de 2016 tem sido muito comemorada pelos cariocas. A euforia, porém,
não abrange os clubes, que terão que se adaptar no período. Flamengo,
Fluminense e Botafogo, por exemplo, não poderão contar com Maracanã e Engenhão
durante os Jogos. O trio mantém conversas com a Secretaria de Esporte e Lazer
do Rio de Janeiro e teve um projeto aprovado para reformar a Arena Luso
Brasileiro, na Ilha do Governador.
Os
clubes têm a palavra do governo do estado para financiar R$ 30 milhões na
reforma pela Lei do Incentivo ao Esporte. A próxima etapa é encontrar empresas
dispostas a fazer o investimento. De acordo com a lei, 80% do valor investido é
descontado em impostos, mas o restante deve sair dos cofres dos parceiros.
“A
Secretaria de Esportes deu sinal verde para o projeto, mas é preciso
capitalizar em torno da lei de incentivo. O projeto está sendo tocado”,
afirmou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello ao UOL Esporte.
“Já
começamos a mapear algumas empresas interessadas no projeto. Temos encontrado
dificuldade porque o mercado está difícil e 20% do capital precisa ser original
das empresas [não descontados de impostos]”, completou o presidente do
Botafogo, Carlos Eduardo Pereira.
Procurado
pela reportagem, o Fluminense preferiu não se posicionar, já que se trata de um
projeto embrionário. O Tricolor ainda estuda as opções e admite que o estádio
na Ilha do Governador está entre as opções. Além disso, o clube poderá atuar em
Volta Redonda e Macaé, embora a necessidade de viagem para essas cidades pese
contra.
Botafogo e Flamengo têm alternativas
Flamengo
e Botafogo têm opções diferentes para chamar de casa em 2016. O Rubro-negro
alimenta a possibilidade de transformar a Gávea em um estádio para receber jogos
de pequena repercussão. O projeto conta com várias questões que dificultam a
realização, como problemas com associação de moradores, trânsito entre outros.
O
Botafogo, por sua vez, pensa em ‘ressuscitar’ o Caio Martins. O clube também
precisaria fazer uma reforma no estádio de Niterói. No caso, o Alvinegro
enfrentaria a mesma dificuldade para captar recursos, mas o valor total seria
menor. A diretoria estima o projeto em R$ 15 milhões, ou seja, metade do custo
da Arena Luso Brasileira. “Estamos estudando outras possibilidades, mas
são embrionárias ainda”, encerrou o mandatário do time de General
Severiano.

COMENTÁRIOS: