Flamengo tem interesse no lateral Bruno, do São Paulo.

24

LANCENET
– Como nos últimos anos, a lateral direita será uma preocupação do São Paulo ao
traçar o planejamento de 2016. No momento, o clube conta com Bruno e Auro para
a posição, mas não são unanimidade e podem ser negociados.

Recentemente,
a diretoria teve uma conversa com o empresário Eduardo Uram, agente de Bruno.
Foram discutidos alguns assuntos, como a situação do volante Maicon, hoje no
Grêmio – Uram também o representa. E nesta conversa o São Paulo foi informado
do interesse do Flamengo no lateral-direito. 
Houve uma procura da diretoria do clube carioca, que ainda terá de
vencer a eleição do próximo dia 7, mas se mantém alerta ao mercado.
A
partir daí, a situação deve se desdobrar da seguinte maneira: ou os dirigentes
oferecerão um novo contrato ao jogador, aumento e/ou extensão do vínculo que
termina no fim do ano que vem, ou terão de ser firmes caso não queiram
perdê-lo.
Bruno
chegou ao São Paulo no início deste ano, contratado do Fluminense por cerca de
R$ 1 milhão. Em crise financeira, o clube contraiu dívida para ter o reforço
pedido pelo então técnico Muricy Ramalho. Também atrasou salários algumas
vezes, até quatro meses acumulado.
O
lateral de 30 anos, por outro lado, faz temporada regular. Disputou 48 dos 67
jogos do time no ano, a maioria como titular. Não marcou gol, mas se fixou na
posição.
Tanto
ganhou a condição de titular que o principal concorrente ficou incomodado. O
garoto Auro, de 19 anos, por pouco não foi liberado na janela do meio do ano.
Insatisfeito com as poucas oportunidades que seu cliente vinha recebendo do
colombiano Juan Carlos Osorio, o empresário André Cury se reuniu com a
diretoria e pediu permissão para levá-lo ao Estoril, de Portugal.
A
negociação ficou encaminhada, até que, em uma nova conversa com Osorio, Auro
foi convencido de que teria mais chances. Problema é que o colombiano saiu
pouco depois e o lateral não jogou mais.
Agora,
o panorama está mantido e quem representa o jovem quer saber qual a projeção do
São Paulo para ele em 2016. Só que tudo vai depender da escolha do novo
técnico.
A
indefinição pressiona os dirigentes, que terão de lidar com as questões assim
que a temporada acabar, dia 6 de dezembro.

COMENTÁRIOS: