Flamengo vai a Sorocaba de olho na terceira vitória seguida.

8

GLOBO
ESPORTE – Duas vitórias, três partidas disputadas e a quinta colocação na
classificação geral do NBB 8. Para início de temporada, o retrospecto do Flamengo
está longe de ser considerado ruim. Principalmente levando em conta que o atual
tricampeão e dono de quatro troféus na principal competição nacional do país
trocou quase a metade de seu elenco. Depois de estrear com uma derrota para o
forte time de Bauru, fora de casa, os rubro-negros venceram duas partidas
seguidas e encaram a Liga Sorocabana nesta quarta-feira, às 20h, no ginásio
Gualberto Moreira, no interior paulista, em busca de equilíbrio e consistência.

Com
duas derrotas em três partidas, os donos da casa buscam a reabilitação diante
de sua torcida após o revés para o Basquete Cearense, também em Sorocaba. Com
média de 17,33 pontos por partida, o armador Arlindo Neto, responsável pela
cesta de três pontos a três segundos do estouro do cronômetro na vitória por 71
a 69 sobre o Vitória, da Bahia, é a principal arma do técnico Rinaldo
Rodrigues.
Para
neutralizar o poderia ofensivo de seu xará, José Neto espera que sua equipe
siga evoluindo na competição após os triunfos sobre Franca e Rio Claro e
consiga encontrar a consistência e o equilíbrio necessários para chegar à
terceira vitória consecutiva no NBB 8.

Estamos em um período de formatação da equipe e buscando uma maneira
consistente de jogar. Fizemos bons jogos nas duas últimas rodadas e temos que
buscar essa consistência para continuarmos evoluindo como time, que é nosso
objetivo principal nesse início de temporada – explicou o comandante
rubro-negro.
Sem
Olivinha, diagnosticado com um edema ósseo na fíbula da perna direita, o
técnico José Neto não esconde sua preocupação com o jogo físico dentro do
garrafão do time paulista.
– A
Liga Sorocabana tem uma tendência de jogar muito duro fisicamente e com
bastante variações de defesa, o que nos preocupa bastante. Temos que entrar
focados e jogar de uma forma consistente. Eles vão exigir da nossa equipe uma
regularidade muito grande. Qualquer desfalque sempre faz muita falta, e o
Olivinha não é diferente. É um jogador que já está habituado e conhece nossa
maneira de jogar, uma perda enorme. Mas treinamos e trabalhamos sem ele para
continuarmos fortes e crescendo na competição – afirmou o técnico do Flamengo.

COMENTÁRIOS: