Há 34 anos, Flamengo conquistava a Libertadores.

6

ESPORTE
INTERATIVO – Neste dia 23 de novembro, há 34 anos, a América do Sul era pintada
de vermelho e preto. Em uma campanha impecável comandada por Zico, o Flamengo
bateu o Cobreloa, do Chile, e carimbou o passaporte para o Japão, onde
enfrentaria o Liverpool, dias depois, na disputa do Mundial.

A
campanha começou contra o Atlético-MG, ainda em julho. O primeiro jogo da fase
de grupos, que ainda tinha Cerro Porteño e Olímpia, ambos do Paraguai, terminou
2 a 2. Após seis partidas, Flamengo e Galo empataram em oito pontos e foram
para um desempate disputado no Serra Dourada, em Goiânia. O jogo começou muito
tenso e, aos 37 minutos do primeiro tempo, foi encerrado com o Rubro-Negro
carioca declarado vencedor após cinco jogadores do rival serem expulsos pelo
árbitro José Roberto Wright.
A
semifinal foi disputada em uma nova fase de grupos. O Fla enfrentou Deportivo
Cali, da Colômbia, e Jorge Wilstermann, da Bolívia. Foi mole. Os cariocas
atropelaram os adversários, venceram as quatro partidas e se garantiram na
final da competição, contra o Cobreloa, que era o atual campeão chileno.
No
jogo de ida, diante de mais de 90 mil pessoas no Maracanã, Zico marcou duas
vezes e garantiu o triunfo por 2 a 1. Merello descontou para os chilenos. No
jogo de volta, no Estádio Nacional de Santiago, o mesmo Merello marcou o gol da
vitória do Cobreloa: 1 a 0. Com isso, a decisão foi para a terceira partida,
realizada em campo neutro, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai.
O
dia era 23 de novembro de 1981. O Fla entrou escalado com Raul, Nei Dias,
Marinho, Mozer, Júnior, Leandro, Andrade, Zico, Tita, Nunes, Adílio. A ausência
era Lico, que foi agredido na segunda partida por Mario Soto, zagueiro do
adversário, e não teve condições de atuar na finalíssima. O lateral Nei Dias
entrou em seu lugar, com Leandro atuando no meio e Adílio na posição de Lico.
Logo no início, aos 18 minutos, Adílio roubou a bola pela esquerda, achou
Andrade, que tocou para Zico, livre, bater forte e abrir o placar.
A
partida foi tensa, resultado do clima hostil dos dois primeiros duelos. Com
isso, foram cinco expulsões. Duas para o Fla, Andrade e Anselmo, que havia entrado
no lugar de Nunes, e três do Cobreloa. Porém, mesmo com tanta confusão, o jogo
também teve tempo para futebol. E aos 39 da segunda etapa, Zico, preciso como
sempre, bateu falta sem chances para Óscar Wirth, goleiro do rival que disputou
a Copa de 82 pelo Chile. Foi a consagração do Galinho de Quintino, artilheiro
da competição com 11 gols, e a explosão rubro-negra. O Flamengo era dono da
América do Sul!
A
cobertura completa de tudo sobre o futebol brasileiro você confere nesta
segunda-feira (23), às 17h, no Conexão EI, às 19h e às 0h, no Caderno de
Esportes, às 20h no No Ar Com André Henning, às 21h, no Jogando em Casa, e às
22h30, no Noite dos Craques, no EI MAXX.
Confira
todos os jogos da campanha vitoriosa da Libertadores de 1981:
1ª Fase (Grupo 3)
03/07
– Atlético-MG 2×2 Flamengo
14/07
– Flamengo 5×2 Cerro Porteño-PAR
24/07
– Flamengo 1×1 Olimpia-PAR
07/08
– Flamengo 2×2 Atlético-MG
11/08
– Cerro Porteño-PAR 2×4 Flamengo
14/08
– Olímpia-PAR 0x0 Flamengo
Jogo de desempate da 1ª Fase
21/08
– Flamengo 0x0 Atlético-MG
2ª Fase (triangular semifinal) – Grupo 1
02/10
– Deportivo Cali-COL 0x1 Flamengo
13/10
– Jorge Wilstermann-BOL 1×2 Flamengo
23/10
– Flamengo 3×0 Deportivo Cali-COL
30/10
– Flamengo 4×1 Jorge Wilstermann-BOL
Finais
13/11
– Flamengo 2×1 Cobreloa-CHI
20/11
– Cobreola-CHI 1×0 Flamengo
23/11
– Flamengo 2×0 Cobreloa-CHI

COMENTÁRIOS: