História que dá esperança ao Flamengo.

9

O
DIA – Na memória dos torcedores, a última vitória do Flamengo sobre o Santos,
na Vila Belmiro, ainda está viva. De virada, Ronaldinho & Cia derrotaram
Neymar e sua turma por 5 a 4. Naquele 27 de julho de 2011, os rubro-negros
renovaram a confiança na realização do impossível, quando se veste o Manto
Sagrado. Uma lembrança que alimenta a esperança de ganhar os últimos quatro
jogos do Campeonato Brasileiro, a começar pelo de quinta-feira, contra o Peixe,
no alçapão paulista, e buscar uma vaga na Libertadores de 2016.

Algumas
imagens estão emolduradas para sempre na galeria da história do futebol: o gol
de Neymar, que ganhou o Prêmio Puskas da Fifa como o mais bonito do mundo
naquela temporada; a cobrança de falta de Ronaldinho, por baixo da barreira; o
segundo de Neymar, por cobertura; o da vitória, marcado por R-10; a cavadinha
de Elano defendida por Felipe, que ainda fez embaixadinha.
“Jogo
histórico. Perdendo de 3 a 0, ganhamos lá dentro. Gol do Ronaldinho. Pude estar
lá para contribuir. Aquele time tinha vários jogadores importantes, e eu, mais
novo, pude estar lá. Vai ficar marcado para sempre”, lembra Luiz Antonio,
titular na época, que chegou a abrir o supercílio e terminou o jogo com uma
touca de natação na cabeça.
Depois
daquela partida, Flamengo e Santos só se enfrentaram na Vila uma vez, no ano
seguinte — vitória do Peixe por 2 a 1. Na história, o Rubro-Negro só bateu o
rival desta quinta, no estádio do adversário, mais duas vezes, em jogos
oficiais: em 1976 e em 2009.
A
vitória de seis anos atrás também serve de motivação. Era a estreia de Andrade
como técnico da equipe. O placar de 2 a 1 iniciou a arrancada do Flamengo rumo
ao hexacampeonato. Com uma curiosidade: Adriano, o Imperador, fez o primeiro
gol, e Pará, na época jogador do Santos, fechou a conta, ao marcar contra. A
missão da equipe comandada por Oswaldo de Oliveira? Fazer história novamente.

COMENTÁRIOS: