Neto critica gestão de Eduardo Bandeira: ‘Cadê o Flamengo?’

37

CRAQUE
NETO 10 – Neste domingo, dia 15 de novembro, o Flamengo comemorou 120 anos de
vida. Por sinal uma história rica que lhe transformou em uma das maiores
potências do futebol brasileiro. A única coisa que me intriga é o
enfraquecimento do clube do ponto de vista de resultados. Poxa vida! Se
analisarmos friamente, depois que a turma do Zico parou de jogar bola em meados
dos anos 90, o Rubro-Negro viveu apenas de lampejos. Ou seja, em 20 anos teve
um Brasileirão com o Adriano aqui, duas Copa do Brasil ali e o restante só
estadual do Rio que vale muito pouco.

Afinal
cadê aquele Flamengo competitivo que sempre brigava pelos principais títulos do
continente? Cadê o Flamengo dos estádios lotados e maravilhosos? No jogo de
festa deste domingo o time enfrentou o Orlando City com pouco mais de 10 mil
pagantes no Maracanã. O marketing da Gávea vai virar motivo de piada! Com todo
o respeito isso não é o Flamengo que conheci quando garoto. Que acompanhava
pelo cinema nos vídeos do Canal 100.
De
uns tempos para cá tenho exaltado a administração do presidente Eduardo
Bandeira de Mello. Ele conseguiu reduzir radicalmente as ações trabalhistas e
consequentemente as dívidas do clube. Mas existe uma má gestão do departamento
de futebol. Isso é evidente! Primeiro porque contrataram o Guerrero a peso de
ouro e arrebentaram com o vestiário. O Sheik voltou com idade avançada e tem
apresentado uma bolinha bem pequena (fora aquele áudio dele esculachando o
argentino Canteros). Depois rolou aquele caso de afastamento dos jogadores por
uma festa no período de folga (nunca vi cobrar boleiro na folga dele – ainda
mais em festa privada). Agora vejo uma equipe que não conquistou absolutamente
nada na temporada e está na fraca 11° colocação do Brasileirão. Isso é o
Flamengo?
Me
desculpem as críticas. Sobretudo nesse dia especial. Mas o Flamengo não merecia
comemorar seus 120 anos nessa situação. E não adianta o torcedor me xingar,
vocês sabem que estou falando a verdade.

COMENTÁRIOS: