Sul-Minas-Rio confirma Flamengo com maior cota, mas clubes contestam

13
ESPN – Ponto central de controvérsia no
Brasileiro, a divisão de cotas agora divide também os membros da Liga Sul-Minas-Rio, ou Primeira Liga,
como foi batizada. Em reunião realizada nesta quinta-feira, na sede do
Fluminense, no Rio de Janeiro, foi confirmado que o Flamengo ficará com a maior fatia das receitas do campeonato, porém, nem
todos os clubes concordaram com a situação.
O presidente do time das Laranjeiras, Peter
Siemsen, foi um dos que contestou as contas. Grêmio e Inter também não ficaram
totalmente satisfeitos.
O Fla leva vantagem, no entanto, em um dos critérios
proposto para a distribuição do dinheiro.
Conforme mostrado anteriormente pelo
ESPN.com.br, o ranking do pay-per-view será um dos fatores a ser considerado no
rateio da grana.
A princípio, a proposta é para que o rateio
seja feito da seguinte forma:
1) 44%
do dinheiro, a ser dividido igualmente entre os 12 participantes;
2) 44%
a partir da venda de pacotes do pay-per-view;
3) 12%
destinado à premiação.
A entidade conta hoje com 15 membros –
América-MG, Avaí, Atlético-MG, Atlético-PR, Chapecoense, Coritiba, Criciúma,
Cruzeiro, Figueirense, Fluminense, Flamengo, Inter, Joinville, Grêmio e Paraná – e
ainda o interesse de diversos outros em entrar, caso de Goiás, Botafogo e Ponte
Preta e de um bloco de times da Série B.
O Flamengo lidera a pesquisa sobre compra de pacotes
dos jogos no Brasileiro e deverá faturar R$
70 milhões em 2015
. O modelo se encontra atualmente em discussão e deve
passar por mudanças na próxima temporada. As equipes divergem da metodologia
adotada para a definição do ranking. Elas deverão voltar a se reunir na próxima
terça-feira, em São Paulo.
Existe a expectativa de faturamento de até R$ 1 milhão por partida no campeonato.
Ainda não foi fechado, contudo, um acordo com
uma emissora para a venda de seus direitos de transmissão.

A próxima reunião
está marcada para o dia 12 de novembro, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

COMENTÁRIOS: