Multa por Guerrero é de quase R$ 80 milhões. Fla quer manter peruano

16

LANCE! – Paolo
Guerrero
não teve um bom momento com a camisa do Flamengo, em 2015. A situação,
portanto, não desanima a diretoria rubro-negra, que deposita uma enorme confiança no
atacante peruano para as próximas temporadas. Sinal disso é que a multa
rescisória para tirar o atacante do Rubro-Negro é de aproximadamente R$ 80 milhões. Recentemente, o jogador
teve sondagens da China.
Desde que chegou ao Flamengo, Guerrero recebeu algumas sondagens também do futebol europeu,
porém, que acabaram não evoluindo. Diretor-executivo do Flamengo, Rodrigo Caetano espera não
perder o atacante depois de toda dificuldade que envolveu a negociação para
trazê-lo para o Rubro-Negro, em maio deste ano, por três temporadas.
– Eu, particularmente, torço muito para que
eles não cheguem na multa. Uma coisa que é fato é que ele só sai do Flamengo
pela multa, que hoje é de US$ 20 milhões
(aproximadamente R$ 80 milhões).
Foi muito desgastante a vinda dele para
cá. Foi muito difícil. Tivemos que convencer ele de que o Flamengo seria o melhor caminho para
ele naquele momento. Ele entendeu, aceitou. Se temos um jogador de ponta, que
foi duas vezes seguidas artilheiro da Copa América, passou 11 anos na Europa,
em apenas dois clubes, não ficou pingando de clube em clube. Isso é um fato
positivo. E ele está no Flamengo – disse Caetano ao SporTV, antes de
destacar que seria difícil achar no mercado um jogador como Guerrero:
– Como executivo, não quero perdê-lo. Se o Flamengo
vende, coloca esse dinheiro para dentro do caixa, vai adquirir quem do nível
dele para essa posição? Mesmo com todo esse dinheiro? Não sei.
Curtindo as férias com a família no Peru, o
jogador afirmou, em entrevista à uma TV local que espera poder fazer um papel
um tanto quanto diferente na próxima temporada. Mas também culpou o extenso
calendário de jogos em 2015.

– Espero ter uma melhor temporada (2016).
Esses últimos meses eu não fui melhor por muitos motivos. A sequência de jogos
foi muito agitada, terminei o ano com 80 partidas, e na Europa jogava no máximo
umas 60 – disse o atacante à TV América.

COMENTÁRIOS: