Nomes de técnicos ‘roubam’ a cena em novo debate do Flamengo

14

LANCE! – Antes mesmo de
saber quem será o presidente do Flamengo para o próximo triênio, os nomes de quem
serão os treinadores estão movimentando os debates entre os candidatos. E nesta
quarta-feira não foi diferente, no encontro de Eduardo Bandeira de Mello (Chapa Azul), Wallim Vasconcellos (Chapa Verde) e Cacau Cotta (Chapa Branca), no O Globo.
Eduardo
Bandeira de Mello
preferiu ser mais uma vez cauteloso, e não
tocou no nome de Muricy Ramalho. Wallim reafirmou o acordo com Jorge Sampaoli, porém, não apresentou
os documentos, como houvera prometido. Cacau
Cotta
garantiu Jayme no comando
do Fla.
– Não vou anunciar
treinador, cuja contratação está muito bem encaminhada. Peço um pouco mais de
paciência a vocês, é um treinador de primeira linha e está participando do
processo de escolha de elenco. Ele vai nos ajudar na montagem da nova
infra-estrutura de futebol, na questão da ciência do esporte e excelência em
performance. Extrair o melhor do elenco que temos. No papel, nosso elenco é
melhor que o de muitos clubes que estão na nossa frente na tabela – disse Bandeira de Mello.
Pela Chapa Verde, Wallim seguiu batendo na mesma tecla
que tem um acordo assinado com o treinador da seleção chilena caso vença a
eleição.
– Hoje em dia você muda de
treinador e faz mais do mesmo. Temos um acordo assinado, que posso mostrar,
pelo Sampaoli. Ganhando a eleição, o
Sampaoli vem para o Flamengo
mudar a metodologia e a filosofia do futebol. Vamos trazer jogadores que se
encaixem na filosofia de jogo determinada pela diretoria e aplicada pelo
treinador – garantiu Wallim.
Cacau,
por sua vez, foi mais irônico com as escolhas dos nomes dois candidatos, e
garantiu que Jayme de Almeida será o
treinador do Flamengo
caso leve o pleito.
– Dentro da verdade, meu
técnico é o Jayme (de Almeida,
auxiliar técnico e que assumiu interinamente após a saída de Oswaldo de
Oliveira). Ele conhece a base e o Flamengo. Conhece a casa. Quando o Sampaoli chegar lá e vir aquele
matagal, o CT inacabado, ele vai embora. O Muricy
também vai ser como no Fluminense, vai dizer que tem rato, gambá. 
O Jayme
conhece o Flamengo,
tem pulso forte, foi na ferida dizendo que os jogadores não têm comprometimento.
Jayme tem meu respeito e admiração – finalizou Cacau.

Além do assunto de quem será
o treinador, outro tema que foi levantado no debate foi da continuidade do
diretor-executivo Rodrigo Caetano. Eduardo Bandeira de Mello e Wallim
garantiram a permanência do dirigente, enquanto Cacau garantiu que não pretende
seguir com Caetano.

COMENTÁRIOS: