Trio do Fla usa centro de inteligência para ir ao mercado atrás de reforços

18

UOL – O Flamengo trabalha em conjunto para reforçar o
elenco e dar ao torcedor um 2016 bem diferente do ano que se encerra. Sob a
supervisão do diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano, o Rubro-negro
forma com o vice de futebol Flávio Godinho e o vice de gabinete Plínio Serpa Pinto
o trio responsável pelas contratações. A atuação na busca por jogadores
funciona com o apoio do Centro de
Inteligência e Mercado do Futebol (CIM FLA).

O departamento criado no Flamengo tem a responsabilidade de
armazenar e organizar as informações dos jogadores. Tudo é passado aos
gestores, que optam pela forma de atuar no mercado das categorias de base ao
profissional.
O CIM aprofunda as análises técnica e
financeira. A equipe precisa fornecer um banco de dados seguro para as
contratações. O setor também monitora os atletas rubro-negros emprestados. É
dali que boa parte das indicações são passadas aos dirigentes. Por sua vez,
eles também possuem liberdade para iniciar conversas através do relacionamento
com empresários e atletas.
Qualquer negociação além do orçamento
previsto é discutida com o comitê de futebol e passada ao presidente Eduardo Bandeira de Mello. A partir
daí, define-se a entrada no negócio ou a desistência.
Foi com este procedimento que o Rubro-negro
acertou as quatro contratações até o momento para 2016. Apenas o
lateral-esquerdo Chiquinho ainda não
foi anunciado. O zagueiro Juan, o
lateral-direito Rodinei e o meia Willian Arão são frutos da parceria com
o Centro de Inteligência e Mercado do
Futebol
.
É com os dirigentes estatutários, o diretor
Rodrigo Caetano e o CIM que o Flamengo tenta achar dois reforços considerados
“incontestáveis” para a defesa e o setor de meio de campo. Os valores
são elevados e as operações consideradas difíceis. No entanto, a diretoria está
confiante de que próxima temporada será bem melhor do que a passada.

“O Centro de Inteligência e Mercado é o
setor que nos passa o raio x completo dos jogadores. Eles nos informam o valor
aproximado de determinado atleta, mas a parte comercial é vista em um núcleo
muito específico. Validar ou vetar qualquer sugestão acontece antes disso. É
uma ferramenta muito importante no mercado e óbvio que contamos com a
participação do Muricy. É necessária
a aprovação do treinador em qualquer operação”, explicou Rodrigo Caetano.

COMENTÁRIOS: