“Nós ganhamos como Flamengo”, exalta José Neto.

Compartilhe esta notícia
Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

GARRAFÃO
RUBRO-NEGRO
: Quatro anos, quatro títulos nacionais, quatro estaduais, uma Liga
das Américas e um Mundial de Clubes. Esse é o currículo de José Alves Neto
desde que chegou ao Flamengo, na temporada de 2012. Peça chave na montagem do
elenco que, no último sábado (11), consolidou uma hegemonia no cenário
nacional, Neto merece ter todo seu valor reconhecido como um dos maiores
treinadores do basquete brasileiro nos últimos anos. Dedicado, estudioso e,
acima de tudo, persistente, o comandante abriu o coração em entrevista ao
Garrafão Rubro-Negro. Confira o papo na íntegra a seguir.

Conquista do título
“Parece
que é a primeira vez. Nós nunca entramos em quadra pensando em tudo que já
ganhamos, mas, sim, naquilo que podemos conquistar. É uma alegria imensa poder
desfrutar disso ao lado de uma torcida tão grande como a do Flamengo e dos
jogadores, que não mediram esforços para sentir também. Então, é uma
satisfação. Quando me perguntam durante a temporada se eu estou satisfeito, eu
sempre digo que não, que estou contente por um momento. Hoje posso dizer que
estou satisfeito por termos conquistado esse título com uma vitória
inquestionável. Ninguém vai sair falando que a bola presa decidiu o jogo. Nós
ganhamos como Flamengo.”
Elogios ao grupo formado pelo Flamengo
“A
capacidade que esse grupo tem de superar as dificuldade é incrível. São
jogadores que crescem em situações adversas e têm um grande líder, chamado
Marcelo. Todo mundo tem um respeito enorme por ele. Essas coisas vão agregando
muito ao trabalho. Nós temos um grupo de trabalho incrível, são caras que dão a
vida e a alma para que possamos dar o melhor para o Flamengo. E convencer todos
com as nossas maluquices e propostas é algo legal também. Quando lá naquela
primeira semana eles ficam mortos e nem conseguem andar direito, nós pedimos
calma e avisamos que vamos desfrutar lá na frente. Esse grupo de trabalho é um
marco, é incomparável.”
Série melhor de cinco decidida com um
‘jogo único’
“Se
fosse jogo único, seria o que nós teríamos vencido com mais folga. Contra
Uberlândia e Paulistano foram jogos apertados. Acho que isso faz jus ao caráter
desse time, que sofreu muitas mudanças do ano passado para cá. Os que chegaram
sabiam bem o que tinham que fazer e entraram na pilha de quem já estava. O
resultado não poderia ser diferente, nós merecíamos isso por tudo que fizemos
nessa temporada.”
Relação de amor com a torcida
“Eu
vejo muito basquete, sou meio maluco com isso aí. Acompanho jogos do mundo todo
e não vejo nada igual. Nós vamos jogar com a Seleção e não tem uma coisa como
essa aqui. Só quem está aqui dentro sente isso, pode explicar, mas não
consegue. É um sentimento muito especial.”

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here