Bom para o Botafogo, ruim para o Flamengo.

10
Foto: Divulgação

JUCA
KFOURI:
O primeiro tempo do clássico carioca foi disputado sob chuva, em
extrema velocidade, com o Flamengo mais ofensivo, as torcidas eletrizadas, mas
apenas uma defesa em lance de Diego bem aparado pelo goleiro Sidão.

A
marcação prevaleceu.
Para o
Botafogo o 0 a 0 estava de bom tamanho. Para o Flamengo não.
Então,
no segundo tempo…
Bem,
no período final, aos 10 segundos,  Alex
Muralha, com a ponta dos dedos, evitou o gol de Neílton na saída de bola do
Botafogo.
Aos 4,
Rodrigo Pimpão ganhou de Muralha no alto, encobriu o goleiro com a cabeça e a
bola saiu raspando a trave.
Sim, o
Botafogo estava mais corajoso. E mais perigoso.
A resposta
do Flamengo veio aos 6, com Diego batendo falta na rede, pelo lado de fora, aos
6, e, aos 9, Guerrero furou na cara do gol.
O
Flamengo seguia mais com a bola, mas o Botafogo insinuava mais.
Diante
de 44 mil pagantes, 49 mil presentes, Zé Ricardo, aos 26,  trocou Gabriel por Marcelo Cirino que, em seu
primeiro toque na bola, justificou as vaias que recebeu ao entrar, ao falhar
feio na tentativa de encobrir Sidão que havia saído mal do gol.
Jair
Ventura respondeu com Diogo no lugar de Airton, dois minutos depois.
E Zé
Ricardo voltou a apostar na experiência de Emerson Sheik, no lugar de
Fernandinho, aos 31.
Era o
Flamengo em busca do gol salvador, o que lhe deixaria a dois pontos do
Palmeiras pelo menos por um dia.
Aos
34, Emerson alvinegro deu errado para o rubro-negro que chutou de fora da área
na rede…do lado de fora.
O
empate estava bom para o Botafogo, mas nem tanto na cabeça de Jair Ventura que
pôs Sassá no jogo no lugar de Neílton.
Aos
37, Sheik achou Cirino em ótima virada de jogo, mas o atacante desperdiçou.
Última
cartada, Leandro Damião no lugar de William Arão.
Mas
foi Pimpão quem perdeu, aos 47, o gol da vitória, ao chutar na rede…pelo lado
de fora.
Sheik
pegou Carli criminosamente e o assoprador de apito nada fez, além de um cartão
amarelo.
O
Fogão seguiu impávido no quinto lugar.
O
Mengo pode cair para o quarto e ver o Palmeiras cada vez mais longe, a sete
pontos, do Verdão.
Já são
quatro jogos seguidos sem ganhar e se Santos e Galo vencerem, o rubro-negro
sairá do G3.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here