Brasileirão 2016 tem mais tempo de bola rolando e menos cartões.

9
Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press

SPORTV:
O Campeonato Brasileiro deste ano tem mais tempo de bola rolando, menor número
de cartões, mas maior quantidade de faltas em relação à competição de 2015.
Essas são algumas das conclusões de estudo realizado pelo ex-árbitro e
comentarista de arbitragem Leonardo Gaciba.

Pela
pesquisa, a média de cartões amarelos por jogo caiu de 4,8 no ano passado para
4,46 em 2016. O de vermelhos diminuiu de 0,29 para 0,22 (uma queda de
aproximadamente 25 expulsões). Mas a redução não foi acompanhada pela redução
das infrações. O índice de faltas passou para 30,7 por partida. Acima das 28,5
registradas no ano passado.
Mesmo
assim, o número de partidas com mais de 60 minutos de bola rolando (tempo
considerado como referência pela Fifa) aumentou. No Brasileiro dste ano, até a
34ª rodada, 84 partidas superaram este tempo. Um aumento significativo em
relação a 2014 (21 jogos) e 2015 (51). Apesar desta melhora, o tempo médio
ainda está abaixo do mínimo previsto pela Fifa: 54min58s. Mas este número
também cresceu em comparação aos dois últimos anos (52min27s e 54min05s respectivamente).
A
partida recordista de tempo útil na era do Nacional de pontos corridos é Santa
Cruz e Flamengo, em 22 de junho deste ano, pela 10ª rodada. A partida vencida
pelo time carioca por 1 a 0 no Arruda teve 73min17s de bola em jogo.

Muitas pessoas acham que marcar menos faltas significa ter mais bola rolando. E
o Brasileiro de hoje tem mais tempo de bola rolando e um número maior de faltas
em relação ao ano passado (…) Tem árbitro confundindo as coisas, achando que
deixar o jogo andar, deixar a bola rolar, marcar menos faltas passa a ter uma
boa arbitragem. O que não é verdade. O árbitro bom é o camaleão. É aquele que
se adapta ao jogo. O árbitro é um coadjuvante. Tem que se adaptar ao que o jogo
está pedindo – afirmou Gaciba.
A
pesquisa indicou também que 25% dos cartões são aplicados por lances ocorridos
em momento em que o jogo está parado. Desses, a maioria (207) é causada por
reclamação. Oitenta e nove são aplicados devido à tentativa de retardar o
reinício da partida e 82 por atitude antidesportiva (como discussões).
Com a
partida em andamento, a principal causa de cartões são pontapés/calços (491),
seguido por impedir ataque promissor (299) e entrada temerária, como carrinhos
(217).

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here