Carrascos no começo do ano, Cirino e Salgueiro estão em baixa.

9
Foto: Arte Esporte

GLOBO
ESPORTE
: Se ainda não houve um vencedor nos jogos Flamengo x Botafogo em 2016,
reclamem com eles! Marcelo Cirino e Salgueiro foram os carrascos nos últimos
dois clássicos, com gols que decretaram os empates em 2 a 2 e 3 a 3,
respectivamente, nos minutos finais das partidas.
Mas, no reencontro deste sábado, ambos no máximo estarão no banco de reservas
do Maracanã. Isso se não forem cortados da relação para o último duelo entre as
equipes na temporada, às 17h (de Brasília), pela 34ª rodada do Campeonato
Brasileiro.

A
verdade é que a moral da dupla, na Gávea ou em General Severiano, já não é mais
a mesma. De contratações de peso a titulares absolutos no início do ano, os
dois estão em baixa e passaram para a “reserva cativa” no segundo
semestre. Perderam espaços com as saídas de Muricy Ramalho e Ricardo Gomes,
respectivamente, e, entre dívida alta e opção de renovação descartada, podem
deixar seus clubes em 2017. Saiba como está a situação de cada um:
Marcelo Cirino
Muricy
apostava muito em seu potencial, e Cirino recuperou o prestígio do início de
2015 e que havia perdido durante o Brasileirão do ano passado. Encerrou até um
tabu de não fazer gols em clássicos, tendo marcado sobre Botafogo e Vasco.
Porém, foi só começar a Série A novamente para cair de produção outra vez. Tem
13 gols em 50 jogos na temporada, mas só foi fazer o primeiro no nacional na
17ª rodada. Pouco a pouco, foi perdendo espaço com Zé Ricardo, e hoje até
Emerson Sheik voltou a ter chances e vem ganhando mais oportunidades do que o
camisa 7.
Com 98
partidas com a camisa rubro-negra e prestes a completar 100 jogos, o atacante
não entra em campo desde 13 de outubro e não tem futuro garantido no clube em
2017. Embora tenha mais um ano de contrato, uma dívida na casa de R$ 16 milhões
com a Doyen, grupo de investidores responsável por sua contratação, pode forçar
uma mudança de ares. Se o Fla vendê-lo durante o vínculo, terá direito a 20% da
transação. Senão, terá que pagar o montante aos empresários em janeiro de 2018.
O
Santos já sondou a situação do jogador e parece como um provável destino se
conseguir parcerias para isso. Um outro clube possível é o Internacional, onde
há um admirador do futebol do atacante: trata-se de Newton Drummnd, diretor
executivo do colorado e que já trabalhou com Cirino no Vitória em 2011.
Envolvido em eleição, o clube não toca no assunto.
Salgueiro
Trinta
e três anos e com experiências no futebol argentino, mexicano, paraguaio e
equatoriano, o uruguaio chegou ao Botafogo com status de principal contratação
do clube em 2016. Foi a terceira aposta para a camisa 10 alvinegra após as
decepções com o boliviano Lizio e o argentino Gervásio “Yaca” Núñez.
Logo em sua estreia, Salgueiro perdeu um pênalti e, mesmo em brilhar, chegou a se
firmar com Ricardo Gomes. Teve boas atuações principalmente nas finais do
Carioca, mas também não aguentou o ritmo do Campeonato Brasileiro.
Internamente,
ele é considerado um cara brincalhão e de grupo, embora o idioma tenha sido um
grande complicador em sua adaptação. Mas perdeu espaço de vez com a troca de
comando no futebol. Sem gozar de prestígio com Jair Ventura, teve sua última
chance no time reserva que pegou o Cruzeiro pela Copa do Brasil no dia 22 de
setembro. De outubro para cá, não vem sendo mais relacionado. O gol no Flamengo
foi seu único pelo clube em 29 jogos.
Salgueiro
tem contrato até dezembro, com opção de renovação por mais uma temporada.
Porém, o Botafogo não pretende exercer o direito. Com salário considerado alto,
ele é tido como nome certo na barca que zarpará de General Severiano para abrir
espaço na folha salarial. O uruguaio também não sabe onde estará em 2017,
entretanto gostou do Brasil e pode continuar pelo país. O Bahia não confirma,
mas é um dos interessados caso suba para a Primeira Divisão.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here