Defesa do Flamengo entra em crise em meio a jejum de vitórias.

10
Foto: Nelson Almeida/AFP/Getty Images

ESPORTE
INTERATIVO
: As últimas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro praticamente
tiraram o Flamengo da briga pelo título. Diante da vantagem de sete pontos do
líder Palmeiras, tanto os jogadores como o técnico Zé Ricardo apoiam-se na
chance matemática para manter o discurso otimista. Além do jejum de vitórias, a
fase ruim tem uma explicação: a defesa parou de funcionar.

Isso
porque o Flamengo sofreu, nas últimas quatro rodadas, praticamente 50% de gols
a mais do que tem de média neste Campeonato Brasileiro. Foram seis gols
sofridos, o que dá 1,5 por partida. Contando todos os 34 duelos já disputados
pelo torneio, o número cai para média de 0,9. Zé Ricardo não falou
especificamente sobre o sistema defensivo, mas admitiu a queda de rendimento da
equipe.
“Fazendo
uma análise fria dos quatro resultados, seriam resultados normais. Mas, elas
aconteceram de forma compacta. Para uma equipe que vinha há 14 partidas sem
perder, me chateou. Mas, devido ao grau de dificuldade da competição, tínhamos
que estar preparados. Sentimos o desgaste e acabamos caindo um pouco o nível do
nosso jogo”.
A zaga
deu defeito, mas o restante do rendimento do Flamengo não mudou, apesar da
autocrítica feita pelo comandante. Isso porque o Flamengo manteve, em média, a
posse de bola, o acerto nos passes e a pontaria em cruzamentos e finalizações.
O número de gols até foi menor, mas caiu de 1,4 para 1,25 por partida.
Em
meio à crise defensiva, o clube da Gávea não terá no próximo jogo três
jogadores fundamentais para o setor em 2016: Alex Muralha, convocado, e Réver e
Rafael Vaz, suspensos. Jogarão nos lugares dos titulares Paulo Victor, Juan e
Donatti. O Rubro-Negro joga a 35ª rodada do Brasileiro contra o América-MG será
às 21h45 (de Brasília) desta quarta-feira (16), no Mineirão.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here