Flamengo cogita ampliação da Ilha para até 40 mil lugares.

17
Atual Arena Botafogo, na Ilha do Governador – Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo

ESPN: O
Flamengo se inspirou no modelo adotado no Independência pelo Atlético-MG para
fechar com o estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador. Embora muito
diferentes em infraestrutura, o estádio traz ao rubro-negro o que precisavam
para ficar menos reféns do Maracanã: um alternativa para jogar no Rio. O fator,
acreditam, traz ao clube segurança nas negociações, além de ser uma opção de
baixo custo esportivo, isto é, não desgasta os jogadores em viagens. Pelos
cálculos dos dirigentes, o estádio vai gerar uma receita líquida de cerca de R$
500 mil por partida.

A
ideia dos rubro-negros é atuar no Luso até a fase de quartas-de-final da
Libertadores (caso avancem) tendo em partidas de maior apelo uma ampliação da
capacidade, de 15 mil lugares para pouco mais de 20 mil. Mas há também estudos
que cogitam uma ampliação para até 40 mil lugares, usando todos os espaços do
estádio com arquibancadas desmontáveis.
“Vamos
ter um investimento inicial no gramado, nos vestiários, nas arquibancadas, mas
isso se paga rápido. Num cenário mais conservador, a receita será algo em torno
de R$ 500 a R$ 600 mil, mesmo que faturávamos em Cariacica, por exemplo”,
disse o diretor-geral do clube, Fred Luz.
Maracanã perto dos franceses e longe do
Fla
As
negociações do Governo com a dupla Lagardere/BWA avançaram bastante na tarde
desta segunda-feira. Um acordo está perto de ser selado com pagamento de cerca
de R$ 100 milhões ao Estado e o velho modelo no pacote: construção de shoppings
e lojas. O Flamengo não descarta ter o Maracanã como um local para partidas
mais importantes, como finais de campeonato, mas vê este cenário como o menos
provável no momento:
“Se
for algo que atenda às nossas necessidades, podemos jogar lá, sim. Mas
continuaremos com a perspectiva de atuar em Brasília, no Pacaembu, em todo o
Brasil como fizemos este ano”, afirma Luz.
Fechar
com o Independência, do América-MG, foi o grande ganho negocial do Atlético-MG
em relação ao Mineirão. Eles jogam no estádio apenas quando lhes interessa, o
que traz, sem dúvida, perdas significativas para a administradora, a Minas
Arena. Pela mesma experiência passarão os franceses (Lagardere) aliados aos
irmãos Balsimelli (BWA), acredita o Flamengo.
O
clube também convidará clubes cariocas para atuarem no estádio, como Fluminense
e Botafogo, no caso de algum impedimento no Engenhão. O estádio foi utilizado
pelo alvinegro na temporada de 2015. A partir de 2016, será de uso exclusivo do
rubro-negro, que dividirá com o próprio clube dono do estádio, a Portuguesa, da
Ilha do Governador. O contrato firmado é de três anos, prorrogáveis.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here