Flamengo e Flu são os grandes que menos aproveitam a Base.

4
GLOBO
ESPORTE
: Se vai mal das pernas no Brasileirão e luta contra o rebaixamento, o
Internacional lidera outra tabela: é o clube que mais revela jogadores para a
Série A em 2016. São 32 nomes, mesmo número de 2015, sendo metade no próprio
elenco e a outra metade sendo aproveitada em outros clubes. O Censo da Base do
GloboEsporte.com, que chega ao terceiro ano seguido, mostra onde foi revelado
cada jogador utilizado no campeonato deste ano. O critério para determinar a
origem é o clube em que o atleta estreou profissionalmente ou era vinculado no
momento do seu primeiro jogo.
A
lista dos três primeiros é a mesma do ano passado. O Santos, de 30 atletas em
2015, caiu para 29 neste ano e se manteve na vice-liderança. O terceiro
colocado é o Grêmio, e a queda é maior: de 28 atletas, foi para 24, dois a mais
do que Atlético-PR, Corinthians e São Paulo. Na página do Censo, é possível
navegar por cada time e saber onde foi revelado cada jogador da Série A.
Com
mau desempenho em campo e uma campanha sofrida na Série A, o Colorado não
deixou de utilizar jogadores da base. O lateral-direito William e o volante
Rodrigo Dourado, campeões olímpicos, são titulares. Os atacantes Sasha e Gustavo
Ferrareis também jogam com frequência, assim como o lateral-esquerdo Arthur e o
meia-atacante Valdívia.
Ao todo,
o Inter lidera também a estatística de jogadores utilizados no próprio clube,
com 16 no total, seguido também pelo Santos, com 15. Atlético-PR, São Paulo e
Vitória, com 13,dividem a terceira posição, e Grêmio e Botafogo, com 12, estão
na sequência.
Goleiros fazem a diferença
Em
número de jogadores de linha, o Santos leva vantagem sobre o Internacional: 28
a 26. A diferença se decide nos goleiros. O Colorado tem seis: Alisson, Muriel,
Jacsson, Agenor, Bruno Grassi e Marcelo Boeck. O primeiro é titular da Seleção,
o segundo saiu para o Bahia e os outros quatro são reservas de suas equipes.
Jacsson, no próprio Inter, Agenor, no Sport, Bruno Grassi, no Grêmio, e Marcelo
Boeck, na Chapecoense.
Mesmo
com tantos goleiros revelados para a Série A, o Colorado contratou dois
jogadores para a posição em 2016, para suprir a ausência de Alisson: Danilo
Fernandes, revelado pelo Corinthians, e Marcelo Lomba, cria da base do
Flamengo.
Em
contrapartida, apenas um goleiro revelado na Vila Belmiro entrou em campo na Série
A em 2016: Vladimir, que atualmente é reserva de Vanderlei, titular absoluto da
meta santista. Entre os titulares, o Santos tem o volante Thiago Maia e o
lateral-esquerdo Zeca. Gabriel, atacante campeão olímpico, foi vendido para o
Internazionale, e Gustavo Henrique, zagueiro, sofreu uma lesão no joelho e está
fora pelo resto da temporada
Números não são tudo, e a dupla Fla-Flu
mostra isso
Observar
os números absolutos ajuda a ter um mapa da quantidade, mas nem sempre da
qualidade. Um exemplo disso é quando comparamos os dados da dupla Fla-Flu. As
duas equipes utilizaram oito jogadores da base no Brasileirão, mas há uma
enorme diferença na importância que eles assumiram para os times.
No
Tricolor, Gustavo Scarpa é titular absoluto e dono da camisa 10. Wellington e
Marcos Junior também iniciam as partidas frequentemente e são importantes para
o time, assim como o volante Douglas, de 19 anos. Disputaram muitos jogos na
Série A (31 de Scarpa, 28 de Marcos Junior, 27 de Douglas e 17 de Wellington).
No
Flamengo, apenas Jorge é titular entre os jogadores revelados pela base do
clube. Felipe Vizeu, campeão da Copa São Paulo no início do ano, entra com
frequência. É o único daquela equipe a ter chances nos profissionais até o
momento. Outras crias da Gávea que atuaram pelo clube no campeonato são os
reservas Paulo Victor, Adryan, Léo Duarte e Thiago Santos, o zagueiro Rafael
Dumas, emprestado para o FC Goa, da Índia, e Juan, veterano de duas Copas do
Mundo que retornou ao clube aos 37 anos.
Gabriel Jesus é exceção no Palmeiras, que
revela para os outros
Os
números também jogam contra o Palmeiras, líder do campeonato, mas um titular do
clube é capaz de valer mais do que todos os revelados pelo Internacional no
mercado. Gabriel Jesus, de apenas 19 anos, é o artilheiro do time com 11 gols
na competição e veste a camisa 9 da Seleção Brasileira. Já marcou quatro gols
em quatro jogos com a amarelinha e foi vendido para o Manchester City por R$
121 milhões.  Dos outros cinco, quem
entra com mais frequência é o zagueiro Thiago Martins. Matheus Sales, Vitinho,
Vinícius Silvestre e João Pedro tiveram poucas chances.
O
número de jogadores revelados para outras equipes, no entanto, é alto: ao todo,
13 jogadores que surgiram no Verdão atuam por outros times na Série A, com
destaque para Victor Luís, lateral-esquerdo do Botafogo, e Rafael Vaz, zagueiro
titular do Flamengo. Elias, que começou como atacante no clube, virou volante e
atuou por parte do campeonato no Corinthians, antes de se mudar para o
Sporting.
A
política de várias contratações do diretor de futebol Alexandre Mattos acaba
restringindo o espaço para que jogadores da base cresçam. E não há indícios de
que isso vá mudar. A prova disso é que o clube corre atrás de reforços para a
próxima temporada e já está acertado com Raphael Veiga, revelação do Coritiba.
No
Corinthians, ocorre um fenômeno parecido. Dos 22 jogadores revelados pelo clube
que disputam a Série A, sete vestem a camisa alvinegra atualmente (além de
Maycon, emprestado para a Ponte Preta). Os outros estão espalhados por vários
clubes, com destaque para os goleiros Weverton e Danilo Fernandes, de Atlético-PR
e Internacional.
Apenas Inter e Santos alcançam 40%
Quando
os clubes buscam traçar metas quantitativas para o aproveitamento da base no
elenco, muitos dirigentes falam em 40%. No atual momento, porém, apenas
Internacional e Santos conseguem cumprir essa meta no Campeonato Brasileiro.
No
Colorado, 16 jogadores em 4 utilizados são pratas da casa, somando 40% do
total. No Peixe, a porcentagem é ainda maior: 45,7%. São 16 pratas da casa em
35 atletas usados. O Vitória, com 39,3%, também se aproxima da meta.  Nos outros clubes, o índice é menor, com
exceção de Atlético-PR e Botafogo, com 36%. 
A Chapecoense, com apenas dois jogadores, tem 5% de aproveitamento e é
quem menos utiliza a base no Brasileirão, e se mantém com tranquilidade na
Série A, o que mostra que a utilização da base não está necessariamente ligada
a resultados satisfatórios.
Trio lidera seleção olímpica
Primeiros
colocados no levantamento, Internacional, Santos e Grêmio são também as equipes
que mais revelaram jogadores para a seleção que conquistou a medalha de ouro
olímpica em agosto, no Rio de Janeiro.
Ao
todo, 11 dos 21 jogadores convocados pelo técnico Rogério Micale (os 18 que
foram, além de Fernando Prass, Douglas Costa e Fred, cortados) foram revelados
em Santos, Internacional ou Grêmio, mais da metade do total. E se juntarmos à
estatística os quatro que ficaram na lista de espera, chegam a 13 de 25, pois o
colorado Valdívia e o santista Gustavo Henrique também receberão a medalha de
ouro.
O
Peixe lidera o grupo dos olímpicos com seis nomes: Zeca, Neymar, Thiago Maia,
Felipe Anderson, Gabriel e Gustavo Henrique (este último na lista de espera). O
Colorado teve William, Fred e Rodrigo Dourado entre os convocados e Valdívia na
lista de espera. No Tricolor gaúcho, os representantes foram Fernando Prass,
Walace e Douglas Costa, além de Luan, que chegou a jogar nos juniores do
próprio Grêmio, mas atuou uma temporada como profissional pelo Tanabi
anteriormente, e por isso não conta para a estatística gremista.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here