Flamengo ignora pressão da torcida: “Consideramos as estatísticas.”

5
Foto: Divulgação

UOL: A
renovação de contrato com o volante Márcio Araújo pelos próximos dois anos é o
assunto do momento no Flamengo. Depois de o time ter ficado pelo caminho na
busca pelo título brasileiro, a torcida projeta a próxima temporada e parte
defende a saída do jogador. Manifestações ocorrem nas redes sociais e também
existe a promessa de protesto no fim de semana, principalmente na partida entre
o Rubro-negro e o Santos, domingo (27), no Maracanã.

Ao UOL
Esporte, o presidente Eduardo Bandeira de Mello falou sobre a polêmica com o
tema. Ele foi ao Ninho do Urubu e conversou com Márcio Araújo na última
quinta-feira (24). O mandatário faz o papel de bombeiro no momento delicado e
passa confiança ao camisa 8. A decisão está tomada e a assinatura do novo
contrato é apenas questão de tempo.
Bandeira
recordou as ameaças sofridas em 2015 quando apostou no vínculo com o
lateral-direito Pará e explicou que a decisão pela renovação foi baseada em
orientações técnicas, além de Márcio Araújo ter números positivos em comparação
com nomes da posição, casos de Walace (Grêmio), Rafael Carioca (Atlético-MG),
Moisés (Palmeiras) e Renato (Santos). O mandatário deixou claro que recuar por
pressão em uma gestão profissional trata-se de uma irresponsabilidade que não
acontecerá no Flamengo.
Confira
a entrevista com o presidente rubro-negro:
UOL Esporte: Como o senhor avalia a
mobilização da torcida nas redes sociais contra a renovação do Flamengo com o
volante Márcio Araújo? Existe a promessa de protesto e vaias ao jogador na
partida contra o Santos, domingo (27), no Maracanã.
Eduardo
Bandeira de Mello: É uma movimentação de parte da torcida. Claro que
respeitamos a manifestação de qualquer rubro-negro, mas a nossa obrigação é a
de fazer o melhor pelo clube. E o melhor para o Flamengo é seguir as
orientações técnicas. A nossa comissão, por unanimidade, conduz uma avaliação
excelente do Márcio Araújo. A decisão pela renovação já estava tomada. Reforcei
ainda mais a nossa opinião depois que tudo isso começou e vi as comparações
dele com os principais volantes do futebol brasileiro nos dados estatísticos.
UOL Esporte: Em algum momento foi cogitado
não renovar o contrato?
Eduardo
Bandeira de Mello: Acho que seria irresponsável da minha parte tomar uma
decisão baseada em movimentações de alguns torcedores. Pode haver boa intenção,
mas eles não têm a mesma condição de avaliação que os nossos profissionais. Passar
por cima é absolutamente impensável. Isso aconteceu com o Pará no ano passado.
Recebi até ameaças em casa para dispensá-lo e acho que ele é o melhor
lateral-direito do Campeonato Brasileiro. Também aconteceu com o Nunes em 1981.
A torcida o perseguia e lembro de uma entrevista na qual ele afirmou que
deixaria o Flamengo, citou a ingratidão da torcida. Pouco tempo depois fez gols
contra o Liverpool e nos ajudou a conquistar o Mundial.
UOL Esporte: Já foi ameaçado por conta da
situação do Márcio Araújo?
Eduardo
Bandeira de Mello: Não fui e acho que nem faz sentido algo desse tipo
acontecer. Não creio nisso.
UOL Esporte: Qual é o peso das redes
sociais em uma decisão polêmica?
Eduardo
Bandeira de Mello: A decisão precisa ser técnica. É a nossa obrigação. Posso
atribuir isso ao fato de o Flamengo ter saído da disputa do título brasileiro e
por conta de uma partida em que o Márcio Araújo foi infeliz em três lances no
segundo tempo. Mas, se considerarmos as estatísticas e o histórico dele, não
temos motivos para aumentar os erros em um jogo contra um campeonato inteiro.
Não podemos tomar a atitude de punir o jogador por conta de um movimento de
Internet que nem sequer sabemos a origem e quem são as pessoas. Isso não vai
acontecer.
UOL Esporte: É possível gerir o Flamengo
através das redes sociais?
Eduardo
Bandeira de Mello: É um universo que deve ser levado em consideração e precisa
ser respeitado, mas você não pode tomar todas as decisões operacionais de um
clube baseado no que aparece no Twitter, Facebook, etc. É assim em um clube de
futebol ou em qualquer outra organização. Estamos em uma fase final de
temporada e com dois jogos importantes pela frente. Estamos concentrados. Esse
tipo de movimentação só atrapalha.
UOL Esporte: O senhor esteve no Ninho do
Urubu na última quinta-feira (24) e conversou com o Márcio Araújo. Ele está
abalado?
Eduardo
Bandeira de Mello: Ele não está abalado, pelo menos aparentemente. É um jogador
experiente e recebe muito apoio dos companheiros. Gostei de ouvir a entrevista
do Diego, que é um líder, um atleta com experiência internacional e já viveu
muitas situações parecidas. Tenho a impressão de que o Márcio não se deixará
abater. É um jogador de personalidade forte e encontra muito carinho na
comissão técnica e nos companheiros. Alguns deles já sofreram esse tipo de
perseguição. Tenho a certeza de que isso não é o reflexo da opinião dos 40
milhões de torcedores do Flamengo.
UOL Esporte: Quando o novo contrato com
duração de dois anos entre Flamengo e Márcio Araújo será assinado?

Eduardo
Bandeira de Mello: As últimas providências estão sendo tomadas e isso
acontecerá muito em breve.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here