Flamengo reafirma desejo por Arena McFla e Estádio próprio.

14
Gávea, Sede do Flamengo, recebeu Encontro das Embaixadas – Foto: Divulgação / Flamengo

SITE
OFICIAL DO FLAMENGO
: Este domingo foi de festa e confraternização de grandes
rubro-negros na Gávea. Mais de 900 pessoas encheram a sede social do clube para
o Encontro Anual das Embaixadas da Nação. Pela manhã, o evento começou no
auditório Rogerio Steinberg, com a presença do presidente Eduardo Bandeira de
Mello, do vice-presidente Mauricio Gomes de Mattos, do diretor-geral Fred Luz,
do vice-presidente de Patrimônio, Alexandre Wrobel, do vice-presidente jurídico
Flávio Willeman, e do gerente de Marketing André Monnerat.

“Todo
ano temos esse nosso encontro e para nós da diretoria do Flamengo é mais que um
prazer, e um privilégio é uma obrigação estreitar nossa relação com as
embaixadas que são nossos elos para nos aproximar dos 40 milhões de torcedores
que temos pelo Brasil. Esse trabalho que vocês fazem é de quem é rubro-negro de
coração mesmo. Isso vai se intensificar ainda mais com o que estamos preparando
para vocês”, disse Bandeira de Mello.
Depois
do mandatário, Monnerat apresentou o novo projeto do Marketing do Mais Querido
para as embaixadas.
“Obrigado
por estarem aqui para comemorar com a gente esse orgulho de ser rubro-negro e
esse trabalho tão bacana que vocês fazem de fazer o Flamengo maior em todo
Brasil. A partir de agora vamos começar a sentir uma maior aproximação com
vocês e saber como o clube pode ajudar o que vocês fazem e o que vocês podem
fazer pelo clube”, disse o gerente, que enumerou os objetivos do projeto:
expandir as embaixadas de forma organizada, utilizá-las de maneira efetiva para
divulgar marca e valores do Flamengo e transformá-las em fomentadoras de
adesões ao Programa Nação Rubro-Negra e organizadora de eventos capazes de
atendê-los e gerar novos negócios.
“Temos
um desafio que a maioria dos clubes do Brasil não tem: criar vantagens para os
torcedores de fora do Rio, de longe do estádio. E vocês têm um papel importante
para trazer mais sócios-torcedores e no fim ajudar a bola a entrar no
gol”, disse.
A
ideia é que as Embaixadas sigam promovendo reuniões regulares para assistir aos
jogos do Flamengo, de preferência em lugares fixos, atuando em prol de
campanhas institucionais e solidárias e na captação de patrocinadores e
parceiros locais e até na identificação de talentos para as categorias de base.
Os próximos passos serão a criação de um novo site para as Embaixadas, dos
Consulados – um passo antes de ser Embaixada, para que o interessado mostre
suas ideias, informações e ações, entenda e ponha em prática as condições do
clube e aí sim se candidatar a embaixador -, de cartão-ingresso de
sócio-torcedor personalizado com a logomarca da Embaixada e novas formas de
parceria.
Hoje,
são 1.667 cadastros e 393 sócios-torcedores (0,5% da base total do Nação
Rubro-Negra), número com potencial para aumentar ainda mais. A Fla-BH é a que
tem mais socios-torcedores, com 56. O mesmo censo fez um perfil dos membros da
Embaixadas, com questões sobre frequência nos estádios, TV por assinatura,
pay-per-view, compra de camisas oficiais – perguntas relacionadas aos parceiros
comerciais do clube, essenciais para estreitar as ações.
“Aqui
temos Maracanã, Gávea, atletas próximos. No estado de vocês, só o amor. Vocês
são os representantes da Nação em todo Brasil e queremos estar mais juntos.
Tenho certeza de que vamos trabalhar mais na captação de atletas e
sócios-torcedores. Algumas embaixadas têm já o marco de terem levado jogadores
para nosso futebol. É importantíssimo a presença de vocês observando talentos.
Vocês são nossos olhos. Tudo já está alinhado com o futebol, que tem seu
calendário de peneiras, em que o atleta será testado. A embaixada que trouxer jogadores
para o Flamengo ganhará um diploma e a que mais tiver atletas aprovados ganhará
um jogo de camisas autografado para ações de marketing. Este plano será
desenvolvido”, explicou o vice-presidente Mauricio Gomes de Mattos.

Auditório da Gávea – Foto: Divulgação / Flamengo
Os
embaixadores presentes no auditório ainda tiveram uma espécia de
“bate-papo de luxo” com os dirigentes, que passaram aos torcedores
informações sobre seus departamentos no Flamengo e ficaram disponíveis para
perguntas e sugestões.
Gestão e Maracanã
Após
as considerações sobres as Embaixadas, o diretor-geral Fred Luz deu um panorama
das finanças e do modelo de gestão do Rubro-Negro aos embaixadores.
“Quando
essa gestão assumiu o Flamengo, não éramos um clube confiável. Os jogadores não
queriam vir, os parceiros não queriam fazer negócios. Hoje, embora ainda tenha
um dívida elevada, ela é pagável e tem um valor menor que o das receitas
geradas pelo clube. Decidimos diminuir o ritmo do pagamento das dívidas
bancárias para manter os investimentos necessários no clube, na equipe de futebol,
e estamos colhendo frutos. É notória a evolução do Flamengo e não precisaremos
desmontar nosso time ao final do ano. Estamos nos tornando uma entidade sólida.
Subimos um degrau e dali só vamos subir. A diminuição do ritmo do pagamento não
muda em absolutamente nada o nosso compromisso de diminuir nossa dívida ano
após ano, com uma gestão responsável e profissional. Somos hoje um grupo
multidisciplinar que acompanha cada etapa e tem metas objetivas a serem
alcançadas, em cada departamento”, disse, que também esclareceu a questão
da licitação do Maracanã.
“Não
é um equipamento fácil, demanda investimentos, tem um custo muito alto. Mas o
Flamengo tem que ser protagonista neste processo. Qualquer empresa que assumir
buscará seu lucro em cima das receitas do Flamengo. Nosso objetivo é gerar
riqueza para investir em seu time, no relacionamento com seus torcedores, não
enriquecer terceiras empresas. É claro que o clube terá necessidade de empresas
parceiras, mas como prestadoras de serviço e não protagonista. Neste momento,
esta é a discussão que temos com o Estado. Quem paga mais de 100 milhões de
reais por ano em dívida tem capacidade de investir 150 milhões em um estádio.
Não seria bom para o Maracanã nem para o Estado, mas o Flamengo não vai hesitar
em tomar esse caminho, de construir um novo estádio, se necessário. Segundo o
Estado, a licitação deve estar pronta em março de 2017”, contou Fred Luz
em primeira mão.
Patrimônio – entrega do CT e próximas
realizações

Sobre
o Centro de Treinamento, Alexandre Wrobel falou sobre a inauguração dos dois
prédios do módulo profissional, em dezembro.
“Todos
temos uma imagem de um Flamengo muito grande, mas quando estive no nosso CT em
meados de 2010, tive um choque muito grande. Todo garoto que chegava ali tinha
o mesmo choque de realidade. E hoje tenho a oportunidade de concluir a primeira
etapa das reformas do Ninho, ainda que com atraso por nossas dificuldades
financeiras. Agora daremos um grande presente a todos nós, em 13 de dezembro,
no aniversário do Mundial, a entrega do módulo profissional, dois prédios, com
26 suítes, refeitório, auditório, sala de jogos, biblioteca, cozinha
industrial, sala de imprensa, vestiários, parque aquático e a pavimentação.
Vamos combinar datas para que as embaixadas possam visitar o CT. Em fevereiro
de 2017 vamos dar início às obras do CT da base e até o final desta gestão
queremos deixar uma cidade do futebol para o Flamengo. Sobre a Arena Mc
Donald’s, para vôlei, futsal e basquete, tudo indica que nos próximos 10 ou 15
dias tenhamos nossa licença expedida para a construção, com capital totalmente
privado. Temos também a intenção de revitalizar o estádio da Gávea, temos um
projeto, já foi dada a entrada na prefeitura. Imaginamos que no primeiro
semestre do ano que vem tenhamos uma resposta sobre isso”, afirmou Wrobel.
Flamengo
nos tribunais

Flávio
Willeman finalizou a conversa com os embaixadores dando o panorama do
departamento jurídico rubro-negro.
“Há
quatro anos estou à frente do Jurídico do Flamengo e este é o maior desafio
profissional da minha vida. É sempre difícil aliar a técnica à paixão. Uma das
exigências que fiz foi que o departamento fosse 100% profissional e isso foi
nossa maior conquista. O único profissional (sem contar vice-presidentes, que
também não recebem salário) não remunerado do Flamengo é o Michel Assef Filho,
que faz questão de não receber. Confesso que imaginava dificuldades, mas não
tanta. Revisamos todos os contratos, remodelamos e anulamos o que era necessário
para o bem do clube. Conseguimos estabelecer uma estabilidade jurídica do
Flamengo com a imensa redução do passivo trabalhista do clube. Não queremos ser
beneficiados em nenhum momento. Só não queremos ser politicamente prejudicados.
A paixão que corre nas veias de vocês também corre nas minhas e sempre estarei
disponível para qualquer esclarecimento”, concluiu Willeman.
Confraternização no Remo

Após a
conversa com os dirigentes no auditório, os presentes participaram de um jogo
de futebol comemorativo e, pela tarde, a sede náutica foi o palco para uma
grande festa, com direito à feijoada, cerveja gelada e roda de samba.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here