Game “never” over.

4
Fernandinho em Flamengo x Botafogo – Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

BOTECO
DO FLA
: Bem… Falar o que? Só nos resta repetir o mesmo mantra que já vem
sendo entoado nessas mesmas quatro últimas rodadas em que pontos valiosos
escorreram pelas nossas mãos. “Ainda dá… Ainda dá… Ainda dá…”.
Porém, e se alguém quiser tacar pedra pode se sentir a vontade, tá com a maior cara
de que não rola. Caímos de produção na reta final. Caímos bastante e os poucos
pontos conquistados dos últimos 12 possíveis mostram isso.

Nesse
jogo de ontem, o nosso empate de número 6.666 contra o Botafogo nos últimos anos,
até dominamos sim. Mais uma vez aquele domínio com cara de arame liso. É fato
que não gritamos “Uuuuuhhhhhh” muitas vezes na arquibancada. O time
deles se fechou bem, catimbou na hora que se fez necessário, ofereceu alguns
poucos perigos em um ou outro ataque rápido, e saiu do estádio com um pontinho que
pra eles deve ter sido até melhor do que eu penso, dada a imensa comemoração do
outro lado após o apito final do juiz.
Nem é hora
de sair apontando o dedo pra tudo quanto é lado e buscar culpados. Mesmo que a
Fla Twitter esteja em polvorosa, parecendo o Departamento de Homicídios de
cinema policial americano, com pressa de encontrar o assassino antes do fim do
filme. E toma de pedra em jogador, no técnico, etc… Nem verifiquei muito a
fundo, posto que as redes sociais em dias como o de ontem, de
“derrota” do Flamengo, me dão um pouco de náuseas. Nada demais. Pode
ser só minha Amelice Explícita em relação ao Flamengo se manifestando, mas acho
mesmo que tem uma galera que erra a mão feio, faltando com respeito para com a
Instituição, o que é lamentável.
De
qualquer forma estamos fazendo uma campanha, talvez não uma reta final, bem
interessante e mais de acordo com nossas expectativas, visto que passamos bons anos
fazendo da meiúca da tabela o nosso habitat natural.
Bora
partir pra dentro deles nas quatro rodadas restantes e ver o que acontece. E
nem vale muito mais ficar sofrendo pelo time dos outros. Deixa sasporra pra lá e
vamos cuidar do nosso. Se o dever de casa não tá saindo… O problema de estar complicando
a coisa toda é só nosso mesmo.
Se
sobra algum medo desses deslizes? Sem dúvida. Já tem gente querendo a cabeça do
técnico, planejando crucificar esse ou aquele jogador em praça pública. Acho
muito infantil fazer uma campanha dessa (só a do Brasileirão, o resto foi uma
catástrofe) e querer zerar tudo pra começar 2017. Esperemos que todo esse
Brasileirão já seja a pré-temporada começando. A comissão técnica definir quem
fica e quem sai, a Smurfada dar aquela coçada no bolso e decidir o que dá pra
gastar (de preferência sem aquela mania de trazer reforço só no meio do ano),
APROVEITAR A MOLECADA DA BASE, que sempre vem mitando na Copinha em São Paulo e
não deve ser por acaso e… Isso é muito importante. Os novos ST que acabaram de
aderir, movidos pela reta final e expectativa de título, continuarem firmes e
fortes em 2017. Não adianta nada passar da casa dos 70.000 na fase boa… E o
povo não renovar se nosso início de Libertadores não for lá grande coisa. Isso
aí não é nem Paixão, nem Amor, e muito menos Raça.
Não mudei
minha opinião sobre a diretoria. Continuo julgando a Smurfada um Mal necessário.
Só porque julgo que o belo trabalho feito até aqui nas finanças e em outros
departamentos poderia ter sido um pouco menos tortuoso no futebol em campo nos
anos anteriores. Apenas isso. De parabéns os envolvidos na esmagadora maioria
dos outros assuntos. E daí que a parte de sofrimento parece que chegou ao fim. Como
eu sempre ladainhei, um dia o dinheiro ia acabar refletindo em campo, e isso já
está acontecendo.
Sem
essa de derrotismo e de arrastar correntes por aí. Aqui é Flamengo. Se não for
esse ano, há de ser no próximo. O Cheirinho de Hepta só acaba mesmo… No dia
que virar Cheirinho de Octa.
Cola
nas redes, Urubu.
Facebook
e Instagram: Mercio Querido
Twitter:
@sorinmercio

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here