Pipoqueiro? Time do Flamengo afrouxa o taco em reta decisiva.

13
GLOBO
ESPORTE
: Um funk que embalou o Flamengo na conquista do Carioca de 2011 agora
serve para ilustrar o atual momento do Flamengo: parado na esquina. A reta
final do Campeonato Brasileiro chegou e o que era odor de hepta passou a
cheirar mal na Gávea. Depois da vitória no polêmico Fla-Flu, o Rubro-Negro
amargou quatro tropeços: derrota para o Inter (2 a 1) e empates diante do
Corinthians, Atlético-MG e Botafogo. Perdeu fôlego na briga pelo título e vê o
Palmeiras se distanciar. Ao fim da atual rodada, a 34ª da competição, o time de
Zé Ricardo, com 63 pontos, pode cair para a quarta posição. Nessa colocação, o
time teria de disputar a pré-Libertadores, em mata-mata que decide vaga na
competição continental.
O
Flamengo pode ver o Palmeiras abrir sete pontos já nessa rodada, quando o time
paulista recebe o desesperado Internacional no Allianz Parque. A partir daí,
apenas mais 12 estarão em disputa até o fim do Brasileirão. O embalado Santos,
com 61 pontos, tem jogo difícil contra a Ponte Preta no Moisés Lucarelli, mas,
visitante indigesto que é, tem boas chances de sair com os três pontos,
chegando aos 64. No Couto Pereira, o Atlético-MG, com 60, enfrenta o irregular
Coritiba, e, caso vença, pode ultrapassar o Fla graças aos critérios de
desempate. Confrontos abertos que, em caso de vitória dos melhores
classificados, tornam as chances de título do Rubro-Negro quase remotas.
Decepções na volta para casa
A
volta do Maracanã tinha tudo para ser o combustível que faltava ao clube na
briga pela liderança. Apesar disso, o Fla ainda não desencantou em dois jogos
no Maior do Mundo, devolvido pela Rio 2016 após as Olimpíadas. Na estreia,
empate decepcionante com o Corinthians, por 2 a 2, em jogo marcado por confusão
nas arquibancadas. E no clássico com o Alvinegro, o resultado mostrou o que o
momento não é mais o mesmo: os gols no fim do jogo e o time empolgado e
vibrante deram lugar a uma equipe pouco criativa e passiva na busca pelo
resultado.
Pedras na estrada
O Flamengo
tem caminho difícil até o fim da competição. Apesar do jogo tranquilo com o
virtualmente rebaixado América-MG na 35ª rodada, o Rubro-Negro tem dois
confrontos complicados em casa: recebe o Coritiba, ainda na briga contra o
rebaixamento, e tem confronto direto com o Santos. No último jogo da
competição, uma pedreira: Atlético-PR na Arena da Baixada. O Furacão perdeu
apenas um jogo em seus domínios no Brasileiro de 2016, para o Palmeiras.
Caminho dos rivais

Os
rivais na disputa pelo título tem caminhos mais fáceis. O Peixe pega o Vitória
em casa na 35ª rodada. Depois, viaja para jogo com um Cruzeiro sem maiores
pretensões, no Mineirão. O único adversário de peso é o próprio Flamengo, em
confronto direto no Maracanã. Na última rodada, o Santos enfrenta o América-MG,
provavelmente sem chances, na Vila Belmiro. Caso repita a pontuação do primeiro
turno, quando fez 10 pontos nos quatro jogos, o time de Dorival Júnior chegaria
aos 71 ao fim da competição.


O
Atlético-MG também pode surpreender, muito pelo embate chave com o Palmeiras no
Independência, também na próxima rodada. Depois, dois adversários sem muita
força: o lanterna Santa Cruz, fora de casa, e o São Paulo, no Horto. O Galo
fecha o Brasileirão contra a Chapecoense na Arena Condá, mas o Verdão, caso
passe pelo San Lorenzo, pode estar em meio a disputa da final da Copa
Sul-Americana.

Após
enfrentar o time de Marcelo Oliveira, o líder Palmeiras recebe o Botafogo na
35ª rodada. Na briga para se garantir no G-6 e com a melhor campanha do
returno, o Alvinegro é mais um obstáculo de respeito na epopeia de Cuca,
Gabriel Jesus & companhia. Depois, o Palmeiras recebe a Chapecoense em casa
e fecha contra o Vitória, no Barradão. O Rubro-Negro baiano, entretanto, pode
até estar rebaixado e, dependendo só de si, o Alviverde pode até já ter
garantido o nono título brasileiro de sua história.

COMENTÁRIOS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here