Brasil pode ter seu maior número de representantes em Libertadores.

14
Paolo Guerrero durante Botafogo x Flamengo – Foto: Satiro Sodré/SSPress/Botafogo.

ESPN: Atlético-PR
e Botafogo jogam nesta quarta-feira para entrar na fase de grupos da Copa
Libertadores da América tendo pela frente rivais paraguaios.

O time
rubro-negro visita o Deportivo Capiatá após o empate por 3 a 3 em casa,
enquanto o Glorioso vai a Assunção pegar o Olimpia depois de construir uma
vitória magra no Engenhão na semana passada – as duas partidas começam às 21h45
(horário de Brasília).
Caso
os dois times nacionais consigam avançar para as chaves 1 (Botafogo) e 4
(Atlético-PR), o Brasil terá o oito representantes na fase de grupos, o maior
número de um país na história em uma só edição do torneio continental.
Argentina
e o próprio Brasil já tiveram seis equipes nesta etapa em competições passadas.
Em
2017, além dos quatro classificados via Brasileirão (Palmeiras, Santos,
Flamengo e Atlético-MG) e o campeão da Copa do Brasil (Grêmio), a Chapecoense
ganhou uma vaga direta na fase de grupos após o título póstumo da Copa
Sul-Americana.
Em
suas primeiras seis edições (1960 a 1965), a Libertadores tinha somente os
campeões nacionais e o detentor do título sul-americano na edição anterior.
Em
1966, houve o aumento no número de vagas com os vice-campeões nacionais e a
inclusão do atual ganhador na fase de grupos – insatisfeito com a mudança, o
Brasil não teve representantes em 1966, 1969 e 1970.
Somente
em 1971 a competição contou finalmente com as duas equipes brasileiras, e assim
o torneio chegou a 20 ou 21 clubes (dois de cada uma das dez nações da América
do Sul além do campeão da edição anterior – caso ele ganhasse uma vaga via
campeonato nacional, não haveria inclusão de outro time).
Para
chegar ao grupo 1, o Botafogo terá de superar a história do Olimpia, sete vezes
finalista e tricampeão da Libertadores. Na segunda fase eliminatória, a equipe
decana perdeu na ida para o Independiente del Valle por 1 a 0 e ganhou em casa
por 3 a 1, com o gol da classificação anotado pelo veterano Roque Santa Cruz.
O time
de Jair Ventura, porém, levou uma vantagem de um gol para o Chile contra o
Colo-Colo e arrancou o empate no final com Rodrigo Pimpão.
Já o
Atlético-PR enfrenta o novato Deportivo Capiatá, que deixou para trás nesta
edição Deportivo Táchira-VEN e Universitário, este após uma épica vitória por 3
a 0 no Peru depois de perder em seus domínios por 3 a 1.
A
equipe de Paulo Autuori, porém, terá de mostrar que pode ir bem fora de casa,
algo que tem sido difícil de acontecer desde 2016.
O
Capiatá é treinado pelo ex-volante Diego Gavilán, com passagens no futebol
brasileiro por Grêmio, Flamengo, Internacional e Portugal.

COMENTÁRIOS: