Consultor alerta para provocações entre Clubes em redes sociais.

11
Foto: Reprodução

LANCE:
A busca por deixar as redes sociais com uma linguagem mais informal tem sido
constante no futebol nacional. Além de dar uma dose de humor para os
torcedores, cada clube vem dando espaço até mesmo a provocações com adversários
tradicionais. Porém, a repercussão da postagem feita pelo Flamengo para
celebrar a vitória da equipe sobre o Botafogo, por 2 a 1, no Nilton Santos,
apontou um alerta quanto ao tom das brincadeiras.

Consultor
de marketing na web pela empresa E-Dialog, Renan Caixeiro apontou ao LANCE! que
as expressões “Pode fugir, pode correr” divulgadas no Twitter do
Flamengo apontaram o quanto um clube tem de medir suas palavras também nas
redes sociais:
– O
clube deve saber que seu Twitter também tem um caráter institucional, e
qualquer postagem causará uma repercussão de grande dimensão. Não há problemas
de fazer provocações sadias, desde que seja uma ação inteligente, e não
provoque nenhum transtorno. Mas, no caso do Flamengo, o que seria uma
brincadeira acabou fazendo parte de um contexto de um jogo marcado por
violência de torcidas e por uma morte.
No
jogo, houve confronto de organizadas, com oito feridos e a morte de Diego Silva
Santos, de 28 anos. A publicação no Twitter oficial do Rubro-Negro foi rebatida
com repúdio pelo perfil do Botafogo, que questionou se o clube queria
“fazer apologia à violência”.
Aos
olhos de Caixeiro, cada clube tem de pensar na maneira como os torcedores
receberão a informação:
– O
clube, assim como qualquer empresa ou marca, deve ter um preparo para
administrar a rede social. É preciso administrar crises, e ver em quais pontos
deve tocar, para ser extremamente profissional no trabalho, e não dar margem
para más interpretações.
O consultor
vê com bons olhos a maneira como os clubes estão utilizando suas redes sociais:
– No
geral, o trabalho vem sendo bem feito. Os clubes souberam conciliar bem o
trabalho informativo e lidar com a paixão do torcedor. Mas devem evitar sempre
as armadilhas.

COMENTÁRIOS: