Cotas: Clubes se unem e tentam alcançar Flamengo e Corinthians.

32
Maurício Galiotte, Presidente do Palmeiras – Foto: Palmeiras / Divulgação

BLOG
DO PERRONE
: Cinco clubes da Série A que têm contrato com o Esporte Interativo
para transmissão de jogos do Brasileirão por TV fechada a partir de 2019
discutiram nesta sexta durante reunião no Palmeiras uma estratégia para ficarem
mais fortes nas próximas negociações de contrato. O objetivo é equilibrar o
jogo com Flamengo e Corinthians, tradicionalmente donos das maiores cotas de
televisão.

Além
do alviverde, Santos, Coritiba, Atlético-PR e Bahia participaram do encontro. A
estratégia deles é fazer as próximas negociações em bloco. Todos teriam uma só
posição, o que em tese aumentaria o poder do grupo. A ideia é atrair os demais
times que fecharam com o EI, que também participou da reunião para tratar de
assuntos ligados ao seu acordo.
O
raciocínio é que se estiverem separados no mercado, Flamengo e Corinthians
continuarão tendo mais peso nas tratativas com as emissoras por terem as
maiores torcidas do país.
O
primeiro teste da nova tática deve ser a negociação da transmissão pelo
pay-per-view. Os cinco clubes combinaram de negociar em conjunto. Eles já
decidiram que não aceitam as pesquisas com assinantes como um dos critérios
para dividir as cotas, método previsto no acordo atual com a Globosat. A ideia
é que todos compradores de pacotes declarem seus times para dar mais precisão
ao levantamento. Acreditam que dessa forma, a diferença para Flamengo e
Corinthians vai cair.
Outra
briga será para que a emissora que fechar contrato aumente a participação dos
clubes na arrecadação obtida com o pay-per-view. Hoje, eles ficam com cerca de
30% da receita. A fatia maior beneficiaria a todos, incluindo os que não
estiverem negociando em bloco.
Entre alguns
dos participantes, o projeto é visto como uma tentativa de reconstruir o que
foi destruído com o fim do Clube dos 13, entidade que era encarregada de
negociar os contratos de transmissão pela TV. Em 2011, o Corinthians, presidido
por Andrés Sanchez, liderou a implosão do C13 ao sair dele para negociar
separadamente seus contratos. Dessa forma, conseguiu um trato muito mais
vantajoso. O mesmo aconteceu com o Flamengo.
Outras
tentativas de uma nova união entre os clubes já foram feitas, mas todas sem sucesso.
A
próxima reunião para debater esse posicionamento unificado está prevista para
15 de março, em Santos.

COMENTÁRIOS: