Desinformado, Jornalista da Folha de São Paulo critica o Flamengo.

15
Policiais fazendo a segurança em jogo do Flamengo no Mané Garrincha – Foto: Lula Lopes/Setul-DF

MÁQUINA
DO ESPORTE
: Infelizmente, não aprendemos nada com a tragédia da Chapecoense.
Por cerca de um mês vivemos no reino da fantasia esportiva. Sucessivas
homenagens foram feitas às vítimas. Os clubes ensaiaram uma aproximação. Houve
manifestações de solidariedade emocionantes. A história de que rival não é
inimigo foi repetida à exaustão. Falou-se em paz.

Passado
esse período, o clássico Botafogo x Flamengo deu o primeiro banho de água fria
(ou de sangue) para quem se iludiu.
Com
policiamento insuficiente, a entrada do Engenhão, agora oficialmente estádio
Nilton Santos, viveu momentos de horror, com tiroteio digno de guerra. O saldo:
a morte do botafoguense Diego Silva dos Santos, de 28 anos, baleado no peito.
Outros sete torcedores feridos foram encaminhados a hospitais. Ao menos um em
estado grave.
Diante
dessa celeuma, o que o Flamengo fez para celebrar a vitória? Postou uma
provocação: “Cadê você? Não adianta fugir, não adianta correr. Deu Mengão no
Engenhão só com a Nação: 2×1.”
A
mensagem se referia ao fato de o Botafogo, horas antes do jogo, ter pedido o
adiamento do clássico, alegando falta de policiamento no entorno do estádio
(ou ao canto da torcida rubro-negra questionando a sempre ausente torcida botafoguense?).
Pelo saldo da tragédia, tal temor tinha fundamento. Para o Twitter rubro-negro,
porém, era apenas uma forma de o rival, que jogou com os reservas, “fugir” do
jogo.
No dia
em que mais uma tragédia ocorria no futebol brasileiro é preciso mais
sensibilidade para lidar com a comunicação. Botafoguenses e flamenguistas
feridos no confronto mereciam isso.
Por
Adalberto Leister Filho

COMENTÁRIOS: