Ederson faz 7 meses no DM do Flamengo recebendo R$ 200 mil.

72
Meia Ederson, do Flamengo, sorrindo – Foto: Gilvan de Souza

LANCE:
Quando ele volta? Só o Flamengo sabe. Sem jogar desde 3 de julho do ano
passado, quando sofreu uma entrada violenta de Fagner, num duelo contra o
Corinthians, pelo Brasileiro, o meia Ederson ainda não tem previsão de retorno
às partidas. O jogador de 31 anos tem contrato com o Rubro-Negro até o fim
desta temporada e ainda é uma incógnita no clube. Ele chegou à Gávea em julho
de 2015, mas vem sofrendo com problemas de lesões desde então. Por isso, tem
apenas 32 jogos pela equipe e quatro gols.

Contratado
para ser o camisa 10 do Flamengo, Ederson ainda está longe de ser o jogador que
se esperava. Ele chegou a ter alguns bons momentos no Rubro-Negro, mas não
conseguiu dar sequência por causa das lesões que sofreu. 
Ederson
foi inscrito no Campeonato Carioca e há esperança que ele possa, finalmente,
voltar ao time ainda nesta competição. O atleta já foi visto correndo no
gramado do Ninho do Urubu e, há algumas semanas, vinha fazendo reforço muscular
e trabalhos de condicionamento físico.
O meia
foi contratado sem custos pelo Flamengo e não chega a ter um salário
astronômico para os padrões dos grandes clubes do futebol brasileiro. Estima-se
que ele receba cerca de R$ 200 mil. Porém, de qualquer maneira, é uma quantia
considerável sendo investida num jogador.
O
Flamengo admite que o retorno do meia depende do próprio jogador.

Ederson sofreu uma lesão atípica (edema ósseo), que não tem um tempo específico
de cura. Prefiro não dar um prognóstico. Temos que esperar para ver como ele
vai reagir. Assim como no caso do Conca, estamos fazendo o máximo possível, mas
isso foge um pouco da gente, depende mais do organismo dele do que da parte
médica. O caso dele está sendo um pouco mais longo, realmente – disse o chefe
do departamento médico do clube, Márcio Tannure.
O
jogador também preocupa o Flamengo no aspecto psicológico. Recentemente, o
coordenador de psicologia do clube, Fernando Gonçalves, falou sobre a situação
do meia, ansioso pelo retorno aos jogos.

Ederson passa por esse sofrimento, algo de quem quer demais a recuperação. Mas
em função do edema ele não consegue avançar. Falamos com o Márcio (Tannure)
nesse processo. Ele (Ederson) é muito perfeccionista, gosta de ter muitas
certezas, flexibiliza o processo para a recuperação ser a mais saudável
possível, para que a cabeça ajude. É difícil, ele quer muito ajudar. Tivemos a
fatalidade do jogo contra o Corinthians, que é um fator externo, que
comprometeu. Ele acaba usando tudo de forma inteligente para que esse processo
seja da maneira mais saudável e que a cabeça jogue a favor nessa recuperação –
disse o psicólogo.
Ederson
chegou a despertar o interesse de Coritiba e Atlético-PR no início desta
temporada, mas não houve avanço nas negociações.
O
Flamengo vai divulgar um boletim sobre o estado de Ederson e Conca nesta
sexta-feira. Fica a expectativa para saber se o camisa 10 poderá, finalmente,
voltar a atuar.
RELEMBRE OS PROBLEMAS ENFRENTADOS POR
EDERSON:
Estiramento na coxa esquerda
Ederson sofreu um estiramento leve no músculo adutor da coxa esquerda num jogo
contra o Vasco pelo Campeonato Brasileiro de 2015, em agosto daquele ano.
Contusão virou problema ainda maior
Novamente contra o Vasco, porém pela Copa do Brasil, em setembro, Ederson
recebeu uma pancada e deixou o jogo. Num primeiro momento, o Flamengo divulgou
que ele sofreu uma contusão no joelho direito. No entanto, dias depois, o clube
informou que o camisa 10 sofreu, na verdade, uma lesão no ligamento colateral
lateral.
Preparação especial e otimismo que não se
confirmou
– Ederson fez um longa preparação na pré-temporada para
brilhar em 2016. O clube estava muito otimista com o atleta, mas isso não se
confirmou. Cauteloso, o Flamengo só colocou o camisa 10 em campo já em março.
Ederson chegou a fazer alguns bons jogos e foi decisivo contra o Internacional,
no primeiro turno do Brasileiro, fazendo o gol da vitória por 1 a 0.
Edema após entrada muito violenta
Ederson fazia um jogo contra o Corinthians, pelo primeiro turno do Brasileiro
do ano passado, no dia 3 de julho, quando foi vítima de uma entrada muito
violenta do lateral Fagner. Naquele lance, o meia do Flamengo sofreu um edema
ósseo no joelho esquerdo. Ele foi submetido a uma cirurgia em setembro e, desde
então, segue se recuperando, sem previsão de retorno aos jogos.

COMENTÁRIOS: