Flamengo e Vasco é sinônimo de rivalidade e polêmica desde 1927.

14
Romário comemorando gol pelo Flamengo – Foto: VANDERLEI ALMEIDA/AFP/Getty Images

GOAL: Flamengo
e Vasco ainda nem entraram em campo pela semifinal da Taça Guanabara mas o
clássico já está gerando muita polêmica dentro dele. A indefinição do local da
partida é o fator principal desta vez, diante da liminar que determina torcida
única, as duas equipes ainda não chegaram a um acordo sobre onde será realizado
o confronto.

Mas
passando pela história dos duelos entre as duas equipes percebemos que polêmica
é o que não falta quando esses dois clubes resolvem se enfrentar, seja entre
torcidas, dirigentes ou jogadores, as brigas, provocações e confusões estão
sempre relacionadas.
Toda
essa rivalidade começou lá atrás, em 1927, quando os torcedores das duas
equipes se engajaram para eleger o time Mais Querido do Brasil. A água mineral
Salutaris promoveu a disputa junto ao Jornal do Brasil  e cada torcedor deveria levar o rótulo do
produto preenchido com o nome do seu time na sede do jornal. Ao final do
concurso, o clube que tivesse mais votos receberia tal alcunha.
Os
português, dono de comércios e, por isso, com maior poder aquisitivo comparavam
inúmeras garrafas e, por vezes, impediam que Rubro-Negros, na maioria seus
empregados, as comprassem em suas mercenárias.
No dia
da apuração, disfarçados, os Rubro-Negros receberam os cupons dos vascaínos e
despejaram tudo nas latrinhas do prédio do jornal e mais tarde, no poço do
elevador. o Flamengo venceu a disputa e conquistou a famosa alcunha de time
Mais Querido do Brasil.
Desde
então a rivalidade entre a dupla foi aflorando cada vez mais tendo o final da
década de 80 e a década de 90 como os pontos mais altos da disputa entre os
dois.
O
baixinho Romário foi grande pivô nessa rivalidade. Após ser revelado pelo time
da colina, o atacante retornou ao Brasil para defender o Flamengo após
conquistar a Copa do Mundo em 1994. Ao se referir ao ex-clube, o eterno camisa
11 disse que os vascaínos teriam que levar lenços ao Maracanã no clássico entre
os dois clubes. Ao comemorar seus gols contra o Vasco, Romário ia em direção
aos torcedores do Vasco fazendo gesto pedindo silêncio.
Se por
um lado o baixinho judiou dos vascaínos, Edmundo foi o carrasco Rubro-Negro. O
chocolate do atacante que até dançar a dança da bundinha em pleno Maracanã
dançou ficou marcado na história. O atacante vascaíno marcou dois gols no
primeiro tempo, outro no segundo comandando a goleada por 4 a 1 e provocando o
time adversário dentro de campo.
Em
2000, o Vasco aplicou uma goleada por 5 a 1 sobre o Flamengo pela Taça
Guanabara, na ocasião após já ter larga vantagem no placar, Pedrinho dominou a
bola e fez embaixadinhas provocando os Rubro-Negros que foram pra cima do jogador
começando uma confusão.
Em
2004, o presidente vascaíno provou o adversário antes da partida dizendo que já
havia comprado o chopp para comemorar o título sobre o rival. Mas dentro de
campo, o Flamengo faturou o título e o goleiro Júlio César soltou a voz
provocando o mandatário com o canto “Arerê, o chope do Eurico eu vou
beber”.
Recentemente
pela Copa do Brasil em 2015, o atacante Paolo Guerrero afirmou que passaria por
cima do Vasco. Dentro de campo o camisa 9 Rubro-Negro pouco fez a ainda saiu
machucado. No final teve que aguentar a zoação do zagueiro Rodrigo que afirmou
que o jogador ficou com medo e pediu para sair.

COMENTÁRIOS: