Flamengo quebra tabu, elimina Vasco e pega o Fluminense na final.

24
Diego comemorando gol pelo Flamengo contra o Vasco – Foto: Gilvan de Souza

UOL: O
Flamengo está na final da Taça Guanabara. Neste sábado, a equipe venceu o Vasco
por 1 a 0 no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, conquistou a vaga na
decisão e, de quebra, encerrou um tabu de nove jogos sem derrotar o rival.

O
único gol rubro-negro na partida foi marcado por Diego aos 40 minutos do
primeiro tempo, em cobrança de pênalti sofrido por Everton. O título do
primeiro turno do Campeonato Carioca será decidido no dia 5 de março contra o
Fluminense, que avançou com empate sem gols diante do Madureira.
De Diego para a rede
Quando
Willian Arão lançou Everton nas costas de Luan aos 39 minutos do primeiro
tempo, o zagueiro vascaíno não viu outra opção além de cometer o pênalti, uma
vez que o atacante rival sairia na cara de Martin Silva. A fria cobrança de
Diego resumiu toda a experiência de sua carreira: bola no centro do gol e no
fundo da rede.
Questão de centímetros
O
Vasco se salvou de uma derrota maior aos 24 do segundo tempo. Acompanhe o
lance: Martin Silva defendeu o chute de Diego, mas cedeu rebote a Réver, que
completou no susto e viu Rodrigo tirar a bola em cima da linha. Ela ainda
sobrou para Romulo, que viu o goleiro uruguaio adiantado e tentou encobri-lo,
mas a zaga afastou. Ufa…
Sai, tabu
Além
da vaga na final da Taça Guanabara, o Flamengo também encerrou um tabu de nove
jogos sem vencer o Vasco. Isso não acontecia desde 22 de março de 2015. Desde
então, foram seis triunfos cruz-maltinos, três empates e três eliminações,
sendo duas no Carioca e uma na Copa do Brasil.
Esquentou
O
clássico que já era truncado viu a intensidade crescer ainda mais aos 34 do
primeiro tempo, quando Wagner recebeu um leve tapa de Mancuello no rosto. O
argentino levou cartão amarelo, mas caiu logo em seguida após um empurrão. Nenê
e Guerrero ainda trocaram farpas enquanto o zagueiro Rodrigo era amarelado pelo
árbitro Leonardo Garcia Cavaleiro.
Trabalho sob as traves
Os
goleiros de Flamengo e Vasco trabalharam bem no primeiro tempo. Muralha impediu
um chute de Jean no meio do gol aos sete minutos e uma finalização de Kelvin
aos 13. Martin Silva, por sua vez, salvou o Cruz-Maltino aos 15 após uma
tentativa de Everton.
Só vale um lado?
Curiosamente,
as duas equipes insistiram nas jogadas por um único lado do campo: enquanto os
vascaínos usavam sua direita no ataque, o setor ofensivo flamenguista apostava
na sua esquerda. Do outro lado do campo, Pará e Henrique pouco trabalharam.
Carnaval dos milhões
Salvo
pequenos desentendimentos do lado de fora do Raulino de Oliveira, o clima entre
os torcedores foi de paz. Um bom sinal para o futuro dos clássicos no Rio de
Janeiro, uma vez que os dois clubes se comprometeram a promover a paz nos
estádios em parceria com a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de
Janeiro). Sem torcidas organizadas, que não contaram com o benefício da
meia-entrada para esta partida, parte do público presente apostou nas fantasias
carnavalescas.

COMENTÁRIOS: