Gilmar Ferreira prevê dificuldades do Flamengo contra o Madureira.

17
Paulo César Gusmão, técnico do Madureira – Foto: André Soares/Madureira EC

GILMAR
FERREIRA
: Paulo César Gusmão, o técnico do Madureira que hoje enfrenta o
Flamengo, tem 54 anos e faz parte de uma geração que ficou meio espremida entre
os sessentões que fizeram sucesso até os primeiros anos do novo século e os
quarentões hoje cobiçados pelo mercado.

Gente
que não é refratária à modernidade, mas que não se afina integralmente com os
modismos.
Estamos
falando de profissionais do porte de Dorival Júnior, Mano Menezes, Cuca, Renato
Gaúcho, Jorginho, Ricardo Gomes, Dunga… e até do atual técnico da seleção
brasileira, Tite, o mais velho deles todos.
POIS
COM EXCEÇÃO de Ricardo Gomes, que já dirigiu dois clubes no futebol francês e
hoje está fora do mercado, PC Gusmão é entre eles a ter vivido a experiência de
treinar um time europeu.
Trabalhou
por três meses na montagem do Marítimo em 2016, mas teve problemas na validação
do registro de treinador concedido pela CBF e não resistiu aos tropeços do
início de temporada.
Nada
que o impedisse, porém, de trazer para o Brasil conceitos avançados do
fundamento do jogo que agora tenta implementar no time do clube tricolor
suburbano.
NESTE
MADUREIRA que vai com o Flamengo às semifinais do Grupo B do primeiro turno do
Estadual, PC Gusmão conseguiu aplicar, por exemplo, um modelo de criação de
jogadas que não se concentra na capacidade individual de um só jogador…
E
também um plano defensivo com uma linha de cinco, com ou sem o terceiro
zagueiro.
Estratégia
ensaiada em treinos coletivos quase diários que fizeram o time o terceiro
melhor entre doze, deixando para trás Vasco e Botafogo.
ESTUDIOSO,
com o olhar calibrado para a descoberta de novos valores e uma inegociável
intensidade nos treinamentos, o técnico repete o sucesso alcançado com a
Cabofriense, semifinalista da Taça GB de 2005.
Seus
jogadores só trabalham com batimentos cardíacos monitorados e para isso exige
do clube, qualquer que seja ele, investimentos constantes na fisiologia.
E não
esconde que a meta do Madureira é ser o de melhor campanha entre os oito
menores ao final do Estadual.
BICAMPEÃO
MINEIRO com o Cruzeiro, bicampeão goiano com Itumbiara e Atlético, e campeão
cearense com o Ceará, PC Gusmão não teve o mesmo êxito em suas passagens pelos
quatro grandes clubes do Rio.
O que
é uma pena.
Ele
tem interessantes propostas de jogo e seus times são sempre competitivos _
vencê-los não é tarefa das mais fáceis.
Eis
então o grande obstáculo para o Flamengo carimbar o primeiro lugar no jogo de
hoje.
Pois
se mantiver a primeira colocação do Grupo B, enfrentará o Vasco, que derrotou a
Portuguesa por 1 a 0 neste sábado e ficou em segundo no Grupo A.
Se
perder para o Madureira e se classificar em segundo, enfrentará o Fluminense,
que ontem fez 3 a 0 no Volta Redonda e acabou em primeiro no A.
Não
creio que seja bom negócio topar com os tricolores antes da final…

COMENTÁRIOS: