Maracanã deve ter capacidade reduzida por ausência de cadeiras.

77
Foto: Staff Images

EXTRA
GLOBO
: Depois de confirmar a estreia na Libertadores no Maracanã, o Flamengo
intensificou as vistorias no estádio nesta quinta-feira, e já sabe que terá que
arcar com um valor alto de manutenção e reformas para enfrentar o San Lorenzo
dia oito de março. Com todo o conforto para seu torcedor. Para garanti-lo, o
clube estima uma carga de ingresso menor do que na partida contra o
Corinthians, no ano passado, quando ela chegou a quase 70 mil lugares.

O
estádio já tem a luz acesa e os sistemas de comunicação funcionando depois do
pagamento, por parte da concessionária, de uma conta de energia de mais de R$ 1
milhão. O diretor de novos negócios do clube, Marcelo Frazão, liderou a equipe
que foi ao estádio para iniciar a preparação da operação da partida, e garantiu
que o jogo de estreia de 2017 terá o Maracanã de sempre, mas funcional.
Cadeiras seguirão fora dos lugares no setor leste e outras áreas do estádio não
terão a mesma apresentação, mas no campo a bola vai rolar tranquilamente.

Criou-se uma percepção de que o estádio estava fechado há muito tempo. Na
verdade tem menos de dois meses da última partida realizada no Maracanã.
Comparativamente ao final da Rio 2016 o gramado está em melhor estado. A falta
de cadeiras, e outras questões, já existiam após os Jogos e não impediram a funcionalidade
do estádio no final de 2016. Não será o melhor estado de apresentação do
Maracanã, mas estará tão funcional como no final do Brasileiro – garantiu
Frazão.
A
comitiva rubro-negra acompanhou o funcionamento pleno do Centro de Comando de
Operações. Foram feitos testes de luz desde a última terça-feira. Há outros
problemas que precisam ser resolvidos, mas haverá tempo hábil, garante Marcelo
Frazão.

Antes de fechar o contrato já tínhamos feito vistorias no estádio. Os pontos
principais de atenção são o gramado, sistemas eletrônicos, de câmeras, de
acessos e refrigeração. Já estamos avançados neste mapeamento e no plano de
ação de trabalho nestes próximos dias —, explicou o profissional, sem revelar
os custos que o Flamengo precisará bancar no acordo pontual com a
concessionária.
Falta
ainda a vistoria da Polícia Militar para a liberação final do estádio, o que
deve acontecer na próxima semana, após o carnaval. O Flamengo não vai vender os
ingressos dos lugares onde não há mais cadeiras, especialmente no setor leste.
Espera-se que na vistoria o problema não seja um impedimento para a liberação
da carga de ingressos elevada.
— A
questão das cadeiras é antiga, não vai atrapalhar. As cadeiras das últimas
fileiras ficam vazias e os ingressos correspondentes não são vendidos —
confirmou Frazão.

COMENTÁRIOS: