Primeira Liga. Segundo plano.

10
Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo

FALANDO DE FLAMENGO: Por Sorín

Já que
todo mundo tá na onda… O Flamengo vai nessa também e desliga a força máxima na
hora de atuar na Primeira Joga Como Quiser Liga. Em um primeiro momento até
pensei que seria uma mistureba, mas na verdade só Muralha e Everton serão os
representantes do time que por enquanto é o titular.
E deve
dar pro gasto. Mesmo porque o América-MG também vai nessa vibe e Enderson
Moreira tem reclamado horrores do excesso de jogos no início da temporada.
Serão ao menos quatro alterações em relação à equipe que atuou final de semana
no empate contra a Caldense pelo Campeonato Mineiro.
Lendo
esses dois parágrafos acima… Afinal, pra que serve mesmo a nova competição que
criaram? Tudo bem que é um caça-níquel bem mais vantajoso que os falidos
estaduais. Aliás, se conseguisse ser mais deficitário que os Carioquetas da vida
e seus primos espalhados por todo país, seria uma loucura completa e
indefensável, e não só uma competição com cara de que está fadada à extinção em
não muito tempo.
Todo
mundo reclama. E não é muito de causar surpresa. Lá no início, quando a ideia
parecia ser excelente, com jogos mais atrativos/lucrativos e uma luta contra a
onda de sonolência que assola os estaduais, ainda assim um monte de gente
chegou a comentar que era muito curioso inventar mais uma competição, já que
era unânime a opinião de que tinha muito jogo durante o ano. Porém, como tomou
ares de luta por tempos melhores, não tinha como não aderir ao conceito.
O
tempo passou… Bem, na verdade nem passou muito, já que estamos apenas na
segunda edição. Mas enfim, agora quase todo mundo olha torto pra Primeira Liga.
Mesmo que não admite. Técnico reclama, jogador fala que é cansativo, dirigentes
desdenham e mandam pra campo qualquer time que der na cabeça. Um caos. Mas
enfim… É o que temos para hoje.
O
treco tá tão feio que até a Megalomania Azul de achar que vai lotar qualquer
jogo fora do Rio, por mais duvidosas que sejam as qualidades do evento, foi
deixada de lado. Sai o Mané Garrincha porque é caro, entra o Bezerrão Mais em
Conta. Na última parcial que vi ainda tinha bastante ingresso disponível.
Após
estrear contra os reservas do Grêmio, no que teria sido a nossa única partida
grande na fase de grupos, o Flamengo tenta garantir a classificação na noite de
hoje também com seu time B. Mais que assegurar a vaga na próxima fase e manter
a campanha 100% de #201SETE, o jogo vale e muito para observar novas caras do
elenco e outras nem tão novas assim, mas que têm sido pouco aproveitadas.
Com a
volta da zaga Juan-Donatti, que teve desempenho desastroso no jogo do ano
passado contra o Figueirense (todo mundo lembra, né?), a estreia do Renê, e
Berrío atuando pela primeira vez desde o início, a cozinha e o ataque são os
setores que devem chamar mais atenção da Nação na noite de hoje, já que no meio
campo teremos Saraujão matando saudade do povo chato que estabeleceu como novo
esporte nacional ofender o cara, Cuéllar tentando provar que é muito útil sim
para o elenco e… A dúvida mais “tanto faz” possível na difícil missão de
substituir o Diego: Gabriel ou Adryan.
Do
lado de lá e do lado de cá… Tanto faz também. Cada equipe buscando incentivo e
pseudo-utilidades para a partida. Nós, fazendo testes, pensando mais no dia 8
de março, e também já de olho nas semifinais do Carioqueta, e o América de olho
no jogo contra o Galo no final de semana. E a Primeira Liga vai cada vez mais
ganhando cara de Segundo (ou Terceiro) Plano.

COMENTÁRIOS: