Primeira Liga vai dar liga?

16
Foto: Divulgação

FALANDO DE FLAMENGO: Por Thiago Nascimento

Olá
Rubro-Negros!
Aquele
poeta de origem desconhecida já dizia: “Os incomodados que se mudem”. Com tal
ditado popular em mente, podemos observar que essa linha de raciocínio foi
seguida à risca por alguns clubes do futebol brasileiro há dois anos atrás,
cuja bandeira foi especialmente levantada pelo nosso querido Flamengo.
Mas se
analisarmos de forma mais profunda os motivos para o surgimento de tal
“rebeldia” sobre o futebol brasileiro, chegaremos ao mesmos sintomas que são
tão debatidos por torcidas/imprensa esportiva e aos demais stalkeholders do
futebol brasileiro:

Gestão do campeonato organizado verdadeiramente pelos clubes.

Captação de patrocínios pelos próprios participantes.

Venda dos direitos de transmissão do campeonato diretamente pelos clubes à TV
que pretende transmitir à competição.

Transparência na gestão para todos os envolvidos/interessados pelo campeonato.

Igualdade nas decisões administrativas. Todos os participantes possuem voz
ativa e democrática dentro da organização/promoção do evento.
Após a
leitura de alguns pontos destacados anteriormente, percebemos que uma
iniciativa parecida com essa foi criada em 1987. No qual o Flamengo se sagrou
campeão ao final da competição.
Mas
por quê essa iniciativa que havia começado tão bem à época, “naufragou” ao seu
final?  Não é preciso ser muito astuto
para perceber que o sentimento de poder destrói tudo por onde ele passa. E não
deixa vestígios. Sejam eles quais forem.
E por
quê há a crença de que uma nova iniciativa há de dar certo se os atores principais
são os mesmos? Talvez seja porquê devido à globalização, nós tenhamos acesso à
competições extremamente organizadas mundo à fora e que isso de certa forma nos
envergonhe. Seja como torcedor, seja como dirigente, seja como clube,
patrocinadores, etc…
Acreditamos
que um dia, o nosso futebol brasileiro se aproxime do que é a NFL e NBA, que
são exemplos para todos que prezam pela gestão esportiva e espetáculo técnico.
Em
função dessa demanda, os clubes fundaram à Primeira Liga. Competição no qual
iria revolucionar o nosso futebol no primeiro semestre do ano, não só com jogos
de ótima qualidade mas também com uma excelente gestão esportiva.
Infelizmente
sempre há pessoas do contra, e em função disso, muitos clubes não aderiram à
tal iniciativa. Diga-se de passagem não foram só clubes, mas também aquelas
organizações de sempre que também não curtem uma mudança positiva.
A
alternativa aos estaduais foi criada. Estaduais esses que na minha opinião são
chatos, têm um nível técnico baixíssimo e possuem pouca atratividade perante
aos torcedores dos clubes que participam… Sem contar, as diversas reclamações
que são explanadas na imprensa por diversos dirigentes dos clubes participantes
e que nada fazem para mudar esse quadro.
Após o
embrião da Primeira Liga na edição de 2016, eu esperava uma maior atratividade
do torneio. Porém, ao assistir a estréia do Flamengo no torneio da edição 2017,
percebi que o time adversário iria atuar com o time reserva. E mais, nem o
técnico compareceria!!! Além disso, teve outro time dito grande utilizando seus
reservas. Na minha opinião, é uma atitude inacreditável.
É
óbvio que eu quero que o Flamengo vença todos os seus jogos. Não importa o
clube e a escalação… Mas sinceramente, eu prefiro que o Mais Querido ganhe de
adversários fortes. Pois sendo assim, os nosso triunfos serão mais valorizados,
épicos e inesquecíveis…
Porém
eu me pergunto:
• Será
que esses clubes não percebem que estão desvalorizando o próprio produto que
eles tanto “lutaram” para construir? Será que os outros participantes e a
organização não tiveram o bom censo de cobrar desses participantes que levassem
essa competição mais a sério? E o Flamengo que é o que mais nos interessa, qual
é a sua posição sobre o assunto? O clube aceitou/continuará aceitando esse tipo
de desvalorização do produto no qual ele foi um dos grandes entusiastas?
Torço
muito para que todos os interessados possam rever essas situações para a
próxima edição. Pois se nada for feito, 
o nosso sonho de ter uma “NFL/NBA” aqui no nosso futebol brasileiro, irá
por água baixo.
Saudações
Rubro-Negras!

COMENTÁRIOS: