Veja cinco fatores a favor do Flamengo para duelo contra o Vasco.

13
Foto: Arte FOX

FOX
SPORTS
: Sem vencer o Vasco desde o dia 22 de março de 2015, o Flamengo tem no
arquirrival a maior pedra no sapato dos últimos anos no futebol carioca. São
nove jogos sem vencer, com seis derrotas e três empates. A última vez que o
Rubro-Negro saiu vitorioso de um confronto contra o Gigante da Colina aconteceu
na primeira fase do Campeonato Carioca de 2015. Na ocasião, vitória por 2 a 1,
em um jogo marcado por muita chuva e confusão. Agora, em 2017, os comandados de
Zé Ricardo têm tudo para por fim ao incômodo jejum. O FOXSports.com.br lista
cinco fatores que podem fazer a diferença no clássico:

Bom momento de Guerrero:
Principal
referência ofensiva da equipe, o peruano não marcou contra o cruzmaltino desde
que chegou à Gávea. Até o momento, com a camisa do Flamengo, são seis jogos
disputados, com quatro derrotas e depois. Para mudar o cenário, a fase
artilheira do camisa 9 é o principal trunfo para o clássico. Em 2017, são seis
gols marcados em seis jogos disputados.
Invencibilidade na temporada:
Após
terminar o Campeonato Brasileiro de 2016 na terceira posição, o Flamengo trouxe
reforços pontuais para a atual temporada. Com uma base já formada, a equipe
conseguiu iniciar bem a temporada. Até o momento, são oito jogos, com sete
vitórias e um empate. Diante do Vasco, a equipe garante vaga na final com um
empate.
Caras novas no clássico:
Dos 11
titulares que devem entrar em campo, seis ainda não enfrentaram o Vasco com a
camisa do Flamengo. Alex Muralha, Réver, Rafael Vaz, Trauco, Rômulo e Diego
debutarão neste sábado de Carnaval. Prováveis reservas, Thiago, Renê, Berrío,
Lucas Paquetá e Felipe Vizeu são outros que podem fazer a estreia no Clássico
dos Milhões.
Força nas jogadas aéreas:
Principal
tormento da equipe nos últimos anos, as bolas alçadas à área rubro-negra
deixaram de ser problema há tempos. Ao contrário de Muricy Ramalho, Zé Ricardo
conseguiu ajeitar a cozinha da equipe, diminuindo assim o número de gols sofridos,
principalmente com as entradas de Muralha, Réver e Rafael Vaz. Para completar,
o comandante ganhou neste ano a chegada de Rômulo. Com 1,87m, o volante tem 15
centímetros a mais do que Márcio Araújo, antigo dono da posição, o que deu mais
consistência ao setor. Além disso, o ‘chuveirinho’ passou a ser a força da
equipe lá na frente: dos seis gols de Guerrero, quatro saíram deste fundamento.
Retrospecto favorável no Raulino de
Oliveira:
Sem
contar o Maracanã, o estádio do Volta Redonda é a segunda casa da equipe do
Flamengo no Rio de Janeiro. Até o momento, são 100 jogos na Cidade do Aço, com
64 vitórias, 21 empates e 15 derrotas. Nas últimas 20 partidas no local, são 15
vitórias, três empates e apenas duas derrotas. No único duelo contra o Vasco, pelo
Campeonato Brasileiro de 2005, vitória rubro-negra, com um golaço do meia
Souza.

COMENTÁRIOS: