Zé minimiza favoritismo do Flamengo e cita vitória do Corinthians.

24
Técnico do Flamengo – Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

EXTRA
GLOBO
: O Flamengo está pronto para encarar o Vasco e fazer valer sua melhor
estrutura e preparação desde o ano passado. Essa é a mensagem que deixou o
técnico Zé Ricardo, que não assumiu favoritismo para a semifinal do Estadual
neste sábado, mas deu boas declarações. Entre elas, a de que o atacante Luis
Fabiano deve ser vigiado, se jogar, mas que seu time vai se impor no jogo. A
outra, que jogar em Volta Redonda foi uma opção ruim.


Quando tem uma tabela definida um ano antes sente ciúme, esperaria que
estivéssemos mais próximos disso. Os grandes desafios deveriam ter o melhor
palco. Esperamos não testemunhar atos de vandalismo e a rivalidade fique no
campo. Com a volta do Maracanã e as obras na Ilha, que a gente não passe mais
por isso, porque fica complicado a logística – afirmou o técnico.
Sobre
Luis Fabiano, Zé deu a entender que não espera o atacante em campo.
– O
Luis Fabiano é um grande goleador, a preocupação tem que ser com o Vasco de uma
forma geral, se ele entrar em campo mesmo sem jogar há algum tempo tem que ser
vigiado. Mas a gente precisa encarar o jogo com todos os cuidados, mas sabendo
que o Flamengo tem suas armas.
Confira
outros trechos da entrevista:
EXPECTATIVA PARA O JOGO
Estamos
visando coisas muito grandes no ano, vamos respeitar o Vasco, mas queremos
melhorar nossa performance para superar eles. Na base a gente aprende a
conviver com essa realidade. Não passei por problema de violência, mas vai
dando o tamanho da rivalidade que potencializa no profissional.
O QUE ESPERAR DO VASCO
Importante
estar preparado para uma grande partida, dura, buscando espaços, vejo até
semelhanças entre Flamengo e Vasco. Eles tem contratações que podem estrear.
Ideia de fazer uma temporada forte e essa partida faz parte do que entende como
crescimento, colocar nossa força á prova.
O TIME QUE JOGA
Estou
levando 20 atletas para Volta Redonda, vamos definir com calma. Damião não se
recuperou. Berrio viaja com a gente, fez um trabalho de recuperação, é uma das
opções.
VIOLÊNCIA
Fundamental
entender que o futebol faz parte da cultura do brasileiro, e isso não pode
descambar para a violência. Fiquei triste com os episódios recentes, isso
afasta os torcedores, as famílias, que trazem energia para todos nós. Espero
que fora das quatro linhas tudo corra bem para a gente trazer o verdadeiro
torcedor para os estádios.
A
gente estava terça e quarta em Fortaleza, a incerteza é ruim. Quando tem uma
tabela definida um ano antes sente ciúme, esperaria que estivéssemos mais
próximos disso. Os grandes desafios deveriam ter o melhor palco. Esperamos não
testemunhar atos de vandalismo e a rivalidade fique no campo. Com a volta do
Maracanã e as obras na Ilha, que a gente não passe mais por isso, porque fica
complicado a logística.
Um
clássico com capacidade de 65 mil ingressos no Maracanã estaria vendendo tudo.
Isso é apenas um dos problemas. Espero um dia começar o campeonato sabendo onde
é a final. Parece utópico, basta se organizar, não olhar só os ganhos pessoais
e sim os coletivos. Funcionar como uma comunidade que quer viver do futebol,
que vai trazer mais investimentos. Hoje parece distante, mas se as partes se
unirem podemos voltar a oferecer uma condição melhor para o torcedor, que é o
consumidor final.
Não
sou o tipo que fomenta rivalidade exacerbada. Não precisa se motivar para um
clássico desse. Já tem fatos grandes para se motivarem, o dia a dia tem que
ser. Todos querem disputar uma semifinal. O confronto é dentro do campo. Isso
para mim basta. O atleta sabe da importância da partida, manter os 100% no
Carioca, faremos tudo possível para conquistar a final.
Espero
que seja um grande teste, grande evento,
VOLTA AO MARACA
A
gente espera que a torcida lote o Maracanã, que empurre o time, em uma
competição tão importante. Nossa maior força é o grito da torcida, incentivo
até o final. Vamos fazer uma grande estreia e buscar os três pontos em casa
para quem pensa alto como nós.
ESTREIAS CONTRA O VASCO
Vamos
tentar nos impor na partida, aplicar nosso modelo de jogo. Seis jogadores nunca
enfrentaram o Vasco com a camisa do Flamengo – Muralha, Vaz, Rever, Diego,
Trauco, Romulo. Esses atletas já sabem da importância do jogo em si, e também
da rivalidade que existe. São dois clubes centenários, todos sabem que é
diferente.
É um
fator motivador.
FAVORITISMO
Difícil
falar de favoritismo, estamos caminhando para ser protagonista das partidas.
Porque estamos em um bom momento temos tudo para fazer uma grande partida. Mas
não dá para fazer prognóstico. Corinthians venceu o Palmeiras, é um dos exemplos.
O rendimento tem que acontecer.

COMENTÁRIOS: