Botafogo volta a tentar vetar Flamengo no Engenhão, mas…

17
Carlos Eduardo Pereira, Presidente do Botafogo – Foto: Luciano Belford/SSPress
ESPN: O
Botafogo entrou com uma liminar nesta sexta-feira tentando vetar o uso do
Engenhão no domingo como palco da final entre Flamengo e Fluminense pela Taça
Guanabara. Porém o TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) indeferiu o pedido.
O
pedido foi feito no final da tarde de hoje, algumas horas após Flamengo e
Fluminense conseguirem que o clássico tenha torcida mista. No documento, pedia
que a partida fosse transferida para o Maracanã, alegando que o estádio Mario
Filho está apto para receber a final, válida pelo primeiro turno do Carioca, e
recorrendo ao regulamento do torneio.
“(…)
O artigo 62 do mesmo Regulamento Específico, estatui o seguinte: ‘Art.62 – O
Estádio Mario Filho (Maracanã) será considerado como campo neutro, assim como
Estádio Nilton Santos (Engenhão), caso não haja a possibilidade de utilização
do Maracanã”, escreveu.
“Vê-se,
pois, que os referidos dispositivos regulamentares dispõem exclusivamente, que
1) os clássicos, semifinais e finais devem ser realizados no Maracanã; 2) o
Estádio Nilton Santos é considerado campo neutro na eventual impossibilidade de
utilização do Maracanã”.
“O
Regulamento não impõe a utilização do Estádio Nilton Santos no Campeonato
Estadual e nem poderia, na medida que o Estádio Nilton Santos é objeto de
Concessão da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro em favor da Companhia
Botafogo”.
No documento,
o Botafogo repetiu algumas vezes que o Maracanã está em condições de uso – o
documento inclusive cita que o estádio receberá a partida entre Flamengo e San
Lorenzo, da Argentina, no próximo dia 8, pela Libertadores.
“Diga-se
de passagem, que o Estádio Maracanã não teve, até então, a sua inviabilidade
técnica comprovada, tampouco o Estádio Nilton Santos, à luz do que prevêem os
regulamentos, sendo certo que a Procuradoria de Justiça Desportiva não trouxe
mínimo elemento probatório que seja apto a demonstrar a impossibilidade de uso
daquele equipamento esportivo”, escreveu no documento.
A
negativa do TJD frustra mais uma tentativa de o Botafogo vetar o uso do
Engenhão na final da Taça Guanabara, como ocorreu outras vezes nesta semana.
Engenhão sim, Engenhão não

Na
quinta-feira, o TJD concedeu uma liminar determinando a escolha do Engenhão
como palco da final da Taça Guanabara. É justamente essa liminar que o Botafogo
contesta.
Na
decisão favorável à escolha do Engenhão, o órgão ressalta o “notório estado
de precariedade do Maracanã”. A medida, ainda em caráter liminar, afronta
o Botafogo que se negava a ceder o estádio para o jogo entre Fluminense e
Flamengo.
O
despacho atende a pedido do procurador André Valentim, do TJD, com base no
Regulamento Geral de Competições que prevê três locais para a final: o
Maracanã, o Mané Garrincha (Brasília) e o Nilton Santos. Segundo ele, seria
arriscado fazer a final no Maracanã.
“Não
tem motivo para que o jogo não seja lá (Nilton Santos). Nâo faz sentido o jogo
ser em Brasília, é a final do Carioca. E seria muito arriscado ter o jogo no
Maracanã. O estádio está sem os laudos, principalmente os de segurança, da
Polícia Militar e dos Bombeiros”, explicou ao Blog o procurador André
Valentim.
O TJD
também determinou multa de R$ 300 mil caso a Ferj não cumpra a decisão.

COMENTÁRIOS: