Clássico vale muito para o Vasco e nem tanto para o Flamengo.

20
Foto: Divulgação

UOL: Uma
antítese de ambiente cerca o “Clássico dos Milhões” deste domingo
entre Flamengo e Vasco, às 18h30, no estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF),
pela Taça Rio. Enquanto o Rubro-Negro tem motivos de sobra para entrar
tranquilo em campo, o Cruzmaltino pisa no gramado com o alerta ligado.  Abaixo, o UOL Esporte lista o que faz o duelo
valer muito para os vascaínos e nem tanto para os flamenguistas:

Vasco em busca da classificação
Com
uma campanha irregular, o Vasco ainda não tem garantida a vaga para as
semifinais do Campeonato Carioca. O time está em 2º lugar no Grupo C da Taça
Rio, com 5 pontos, e em 3º na classificação geral, com 14 pontos, um a mais que
o Nova Iguaçu, que é o 4º, e três a mais que Botafogo e Madureira, 5º e 6º
respectivamente. A equipe precisa ficar entre os quatro primeiros na pontuação
geral para avançar.
Para o
zagueiro Jomar, o Flamengo não entrará em campo desinteressado por já estar
classificado:
“Não
existe isso de pouco interesse por parte do Flamengo. Tenho certeza de que,
quando a bola rolar, o adversário vai se empenhar ao máximo para conquistar o
resultado positivo, pois estamos falando de um clássico, onde a rivalidade é
grande”.
Flamengo já garantido nas semifinais do
Carioca
Apesar
de escalar o que tem de melhor disponível no clássico contra o Vasco, o
Flamengo não tem muitos motivos para se preocupar com o duelo no Mané
Garrincha. O Rubro-negro não pode mais ser alcançado na classificação geral do
Campeonato Carioca pelo 3º ou 4º colocados. Desta forma, a equipe do técnico Zé
Ricardo está garantida nas semifinais do Estadual e tem a vantagem do empate
para chegar à decisão. O panorama será mantido independente da conquista ou não
da Taça Rio.
“Procuramos
enfrentar todos os rivais desta forma. O Vasco é um grande rival. O fato de
estar classificado não altera nossa maneira de jogar ou a motivação para a
partida”, comentou o comandante.
Cruzmaltino tem jejum contra times da
Série A
De
volta à Série A em 2017, o Vasco ainda não conseguiu vencer uma equipe da elite
nacional nesta temporada. Até agora, foram seis jogos, com quatro derrotas e
dois empates, sendo que alguns resultados adversos foram expressivos, como o 4
a 1 para o Corinthians na Florida Cup e o 3 a 0 para o Fluminense na estreia na
Taça Guanabara. O clube ainda perdeu para o próprio Flamengo por 1 a 0 na semifinal
da Taça GB.
Rubro-negro aliviou pressão com vitória
sobre o rival
Um
ponto importante deixa o Flamengo com razoável tranquilidade para o clássico.
Em 25 de fevereiro, o Rubro-negro venceu o Vasco na semifinal da Taça
Guanabara. Além de garantir a vaga na decisão – vencida pelo Fluminense -, a
equipe quebrou um jejum importante e que incomodava nos bastidores. Eram nove
jogos sem triunfar sobre o Cruzmaltino. O último havia sido em 22 de março de
2015. No período de seca, o Flamengo foi eliminado três vezes pelo Vasco – duas
no Carioca e uma na Copa do Brasil.
“Será
um jogo difícil, como qualquer Flamengo x Vasco. Eles estão muito motivados e
mobilizados com a mudança de treinador. Também estamos, pois queremos ganhar a
Taça Rio”, disse o técnico Zé Ricardo.
Vitória do Vasco pode embalar Milton
Mendes
O
Vasco vem de mudança recente no comando técnico. O contestadíssimo Cristóvão
Borges foi substituído por Milton Mendes, que estreou na última rodada vencendo
o Madureira por 1 a 0. Por ainda não ser considerado um “medalhão”, o
treinador poderá obter mais confiança junto a torcida com uma vitória sobre o
maior rival do clube.
Desfalques dos selecionáveis no time
titular
Além
de entrar sem pressão na partida pela classificação antecipada e a vitória
recente sobre o Vasco, o Flamengo ainda se vê desfalcado de jogadores
importantes na engrenagem da equipe. Embora possua um elenco considerado entre
os melhores do país pela crítica, o Rubro-negro inegavelmente sente falta dos
atletas convocados por suas seleções, principalmente Diego (Brasil) e Guerrero
(Peru). A lista também conta com o lateral-esquerdo peruano Miguel Trauco.
“Substituir
o Diego não é fácil. É uma liderança técnica da nossa equipe. Mas todos têm
feito isso bem. O Guerrero também é fundamental, o Trauco. Todos os jogadores
são importantes no Flamengo. Os atletas têm conseguido suprir as ausências e
estão se esforçando bastante. Não devemos ter surpresas em relação a isso no
clássico”, encerrou Zé Ricardo.

COMENTÁRIOS: