Crise da AFA pode beneficiar Flamengo e Botafogo na Libertadores.

10
Foto: Divulgação

FUT
RIO
: A crise no futebol argentino parece não ter fim. Nesta quarta-feira (2), a
FIFA, notificou a AFA (Associación de Fútbol Argentino) por conta de uma mudança
no artigo 87 do estatuto da instituição no último dia 24. A alteração
determinou que o Colégio de Advogados de Buenos Aires seja o responsável por
definir os candidatos para os cargos de presidente e vice da AFA, ao contrário
do comitê de ética da Conmebol, como entende a FIFA.

No
documento, a entidade máxima do futebol ameaça excluir, por um mês, a Argentina
dos jogos pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, contra Chile e Bolívia
ainda neste mês. Além disso, os clubes do país também não disputariam jogos por
competições internacionais, entre elas a Libertadores e a Sul-americana.
Com
isso, Botafogo e Flamengo, que enfrentam times argentinos na estreia da
Liberta, poderiam ser beneficiados, ganhando os duelos sem sequer entrar em
campo. O Alvinegro estreia na terça-feira (14), enfrentando o Estudiantes
(ARG), no Estádio Nilton Santos, às 21h. Já o Rubro-Negro enfrenta o San
Lorenzo (ARG) na próxima quarta-feira (8), às 21h45, no Maracanã.
Vale
lembrar que os adversários do time da Gávea são esperados no Rio de Janeiro nos
próximos dias, mas já não sabem se irão a campo. A Fifa pediu uma posição da
Conmebol até o início da próxima semana, intervendo na ocasião, já que entende
o órgão como máximo dentro do continente. Além disso, entende que a AFA precisa
ter um tribunal independente para julgar os candidatos dentro da Associação
Argentina de Futebol.
Vale
lembrar que a crise no futebol do país começou quando o atual presidente,
Mauricio Macri decidiu pelo fim do programa “Fútbol Para Todos”,
projeto criado pelo governo Kirchner, que custava R$ 500 milhões por temporada.
O FPT era responsável por trasmitir diversos jogos do campeonato local,
beneficiando diversos clubes com o dinheiro da cota de TV.
Além
de já não terem recebido os valores desde o final de 2016, o programa deixou de
existir a partir de janeiro deste ano. Sem dinheiro, os clubes pedem clemência
e vivem situação dramática. Enquanto isso, a abertura do campeonato argentino
foi adiada e, por enquanto, muitos clubes ainda não foram a campo.

COMENTÁRIOS: