“Estou feliz por tudo que tenho vivido no Flamengo”, diz Diego.

10
Gilvan de Souza / Flamengo

O DIA:
Convocado mais uma vez para jogar na seleção brasileira, Diego vai disputar a
sua primeira final com a camisa do Flamengo, domingo, às 16h, contra o
Fluminense. A Taça Guanabara pode não ter o mesmo cheiro de título do hepta
brasileiro que escapou no ano passado. Mas a possibilidade de levantar o
primeiro troféu mexe com o jogador que voltou do futebol europeu para começar
uma relação de amor com a Nação rubro-negra.

“Tenho
sentido emoções especiais. São jogos diferentes que mexem com a gente. Todo
jogador que participar. Vamos viver da melhor forma. É o tipo de jogo que tem
que chegar para vencer”, afirmou o meia, para quem o relacionamento com a
torcida começou com paixão à primeira vista.
“A
identificação foi instantânea. Nunca escondi que sempre quis jogar no Flamengo.
Estou encantado com tudo que tenho vivido. Desde o primeiro dia, as mensagens
nas redes sociais, a recepção no aeroporto, as viagens, tudo é maravilhoso.
Quero prolongar tudo que estou vivendo. Eu vim atrás de um sonho. É o que eu
tenho procurado corresponder todo carinho”, disse.
Desde
que chegou, Diego tem bons números. Em 24 jogos, venceu 17, empatou seis e
perdeu apenas um. O retrospecto em clássicos também é bom. Superou uma vez cada
arquirrival — Fluminense, Vasco e Botafogo — e ficou no 0 a 0 com os
alvinegros. O astro do time é esperança na armação das jogadas para furar o
bloqueio dos tricolores, que ainda não sofreram gol no Carioca. Com ele, o
Rubro-Negro só ficou duas vezes sem marcar.
“Estou
feliz por tudo que tenho vivido no Flamengo. Mas, sem falsa modéstia, sou muito
grato pela forma que fui recebido. Um jogador não consegue mudar drasticamente
uma equipe. Ele precisa de um esquema funcionando. E o Flamengo vem fazendo
isso há alguns anos”, afirmou.

COMENTÁRIOS: