“Grande time” que Emerson Sheik negociava era a Chapecoense.

15
Foto: Divulgação

GLOBO
ESPORTE
: Na Chapecoense há espaço para medalhões? A diretoria acredita que sim,
e já definiu um alvo para o Brasileirão: Emerson Sheik. O assunto, entretanto,
é tratado com muita cautela na Arena Condá para não criar falsas expectativas e
há um consenso de que o acerto passa muito pelo desejo do atacante em fazer
parte do processo de reconstrução do clube. O carioca de 38 anos está
desempregado desde que deixou o Flamengo, ao término de 2016.  

Com o
fim do prazo para inscrição na primeira fase da Libertadores, a Chape não tem
pressa para avançar nas negociações e aguarda as movimentações do mercado
envolvendo Emerson. É sabido por ambas as partes que o clube não tem condição
de manter o nível salarial do jogador nos últimos anos: cerca de R$ 500 mil no
Corinthians e mais de R$ 300 mil no Flamengo.  
A
diretoria do Verdão não comenta o caso, mas internamente é sabido que o acerto
é um sonho distante. Amigos de Emerson têm a mesma opinião, mas o empresário
Reinaldo Pitta deixa o futuro de seu cliente em aberto.

Procede. Existe a situação com a Chapecoense e outros dois clubes. Não que o
Emerson esteja fazendo leilão, mas estamos demorando um pouco para definir
porque ele ainda tem coisas para resolver no Rio. Deve ter algo na próxima
semana. As conversas com a Chape são através do Rui (Costa, diretor executivo),
que é um cara muito bacana e já quis o Emerson quando estava no Grêmio. Estão
em andamento.  
Recentemente,
o próprio Pitta apontou que Emerson defenderia “um clube grande, que
certamente vai brigar por títulos” no Brasil ou seguiria para o futebol
chinês. A novela sobre o futuro do atacante, que foi descartado recentemente
pelo Corinthians, porém, se alonga. Revelado pelo São Paulo, Sheik passou quase
uma década no exterior até voltar ao Brasil para defender Flamengo, Fluminense,
Corinthians e Botafogo.
Enquanto
Emerson Sheik é somente um desejo distante, a Chapecoense se prepara para o
clássico com o Avaí, domingo, às 16h (de Brasília), na Arena Condá, pela quarta
rodada do returno do Catarinense. Com sete pontos, o time é o segundo colocado,
atrás do Joinville, que tem nove.

COMENTÁRIOS: