Insônia.

13
Foto: Divulgação

FLAMENGO
RJ
: Sabem aquelas cenas de filme onde aparecem exércitos rebeldes invadindo
aldeias para recrutar crianças? Pois é exatamente assim que vejo a
possibilidade de perdermos o Vinicius Jr., antes de nos dar o retorno que
esperamos.

Me
sinto como os pais de um adolescente nessas aldeias, conscientes que, a
qualquer momento, vão chegar aqueles homens fardados e fortemente armados em
cima de caminhões, que, sem lhes dar qualquer chance de reação, levarão seus
jovens.
Bate
uma ENORME sensação de impotência lidar com essa possibilidade. Algo como se
ele jogasse no “Bambala” ou “Arimateia” e não houvesse como evitar o adeus.
Tenho
plena consciência que não temos (AINDA) como concorrer financeiramente com os
poderosos da Europa, mas também sei que o Flamengo, hoje em dia, tem uma
condição financeira suficientemente estável, para seduzir o menino (sua família
e empresário) com uma proposta capaz de mantê-lo ainda um bom tempo por aqui e
adiar o que parece inevitável. Se o Santos conseguiu fazer com Neymar, nós
podemos fazer também.
Nosso
torcedor tem um carinho todo especial pelos meninos que vêm da base e seria
absolutamente decepcionante permitir que esse novo extra classe (como tudo
indica que será) revelado por nós, fosse embora antes de vê-lo dando algumas
voltas olímpicas com o Manto.
Li em
algum lugar, que a Carabao pretende nos presentear com alguma contratação no
meio do ano. Se é verdade, ao invés disso, poderia aplicar essa grana na
manutenção do menino e conquistar de vez a simpatia de 40 milhões de
consumidores. Juro que até parava de beber água e passava a tomar só esse
negócio. Se, por ser energético, me causar insônia, tudo bem!!! Vou passar
noites inteiras acordado, correndo risco de não passar no antidoping, mas rindo
de orelha a orelha.
Até
mesmo porque, tenho certeza que não passarei por essa insônia sozinho. Por tudo
que tenho ouvido e lido, toda a torcida arco-íris e a esmagadora maioria dessa
mídia Lambe Saco de clubes paulistas, vem perdendo o sono também, desde que as
imagens desse menino começaram a aparecer. Só faltam pedir pelo amor de Deus
para que alguém o leve embora o mais rápido possível.

que, desta vez, acredito que vão se decepcionar. Nossa Diretoria parece estar
atenta a todo esse interesse dos “poderosos” e, se sua saída realmente se
tornar inevitável (pela vontade do jogador ou pressão de empresário e família),
não será como em outras épocas, quando uma promessa rapidamente encheria os
bolsos de Dirigentes inescrupulosos e esvaziaria nossas esperanças de ter um
novo ídolo feito em casa.
Fora o
ganho técnico, visibilidade e valorização patrimonial, vocês já imaginaram a
quantidade de meninos espalhados pelo país, que se tornariam flamenguistas por
causa desse moleque travesso? Sou capaz de apostar que diminuiria
consideravelmente a quantidade desses torcedores mirins que infestam nossas
ruas hoje em dia (acobertados por um bando de pais BUNDÕES que permitem este
absurdo), com camisas de Barcelona e nome de Neymar exposto nelas.
CARIOCA
Sobre
este Carioca (com tabela e regulamento escolhido a quatro mãos por Eurico e
Rubinho), o encaro como se estivesse em um restaurante e ficassem colocando
azeitoninhas descoloradas e torradinhas de pão dormido na minha mesa, em uma
tentativa vã de disfarçar minha fome avassaladora pelo prato principal, que
será servido em 12 de abril.
E
tenho sérias dúvidas se, com a participação na semifinal garantida, nosso grupo
não se sente da mesma forma. Tenho assistido nossos jogos pelo Carioca muito
mais preocupado com a integridade física dos nossos jogadores principais, do que
propriamente em vencer esse monte de jogos, cujo o único objetivo é alimentar e
manter no poder a INESCRUPULOSA Federação que temos por aqui.
Nem
mesmo o título Carioca chega a despertar meu interesse, como esta partida
decisiva que teremos no mês que vem.
Era
pra ser um jogo onde praticamente garantiríamos a nossa participação na próxima
fase, mas, como não conseguimos transformar nossa indiscutível superioridade em
gols neste último confronto, uma vitória sobre os paranaenses se tornou
obrigatória e uma certa tensão entre nós inevitável.
Minha
confiança na nossa classificação não foi abalada. De forma alguma! Futebol é
assim. Um dia a bola bate na trave e entra e no outro bate e sai.
O
importante é a nossa percepção de que o time está jogando bola, tem um estilo
definido, está entrosado, o grupo está unido e o treinador sabe exatamente o
que precisa ser corrigido. O único problema é segurar essa IMENSA ansiedade até
o próximo dia 12. Algo que, não tenham dúvidas, nossos jogadores devem estar
vivenciando tanto quanto nós.
O
jeito é ir disfarçando a “fome” com as tais azeitoninhas e torradinhas mesmo.
Afinal de contas, o Manto estará em campo algumas vezes, até o dia tão
esperado, e não existe prazer maior do que vê-lo em ação.
PRA
CIMA DELES, MENGÃO !!!
Ricardo
Perez

COMENTÁRIOS: