Jornal taxa tesouras em Zico e empurrões no árbitro como “farsa”.

16

ESPN: O
polêmico duelo entre Atlético-MG e Flamengo na Copa Libertadores de 1981 voltou
a ser lembrado nesta quarta-feira. Em coluna semanal na qual responde perguntas
de leitores, o jornal “Guardian”, o maior da Inglaterra, reviveu a
partida e, com a citação de um livro, chamou o que aconteceu de
“farsa”.
A
pergunta que motivou a explicação pedia ao jornal que fornecesse mais
informações sobre o jogo em que o Atlético-MG teve cinco expulsos. O leitor
afirmou ter lido sobre o assunto na internet, mas sem maiores detalhes. O
Guardian, então, cita o livro “Club Soccer 101”, de autoria de Luke
Dempsey.
“O
árbitro José Roberto Wright lembra ‘uma atmosfera muito pesada’, embora ele
indubitavelmente tenha contribuído para a farsa que estava prestes a
ocorrer”, diz a publicação – que não tem tradução em português – escolhida
pelo jornal para explicar o episódio descrito ao leitor como
“bizarro”.
“O
primeiro jogador do Atlético a receber o cartão vermelho, depois de só 20
minutos, foi Reinaldo após um carrinho inócuo em Zico; minutos depois, Éder o
seguiu no túnel, tendo acidentalmente trombado com o árbitro enquanto corria
para cobrar uma falta. Éder, compreensivelmente, caiu de joelhos aterrorizado
pelo cartão vermelho”, segue o autor do livro.
“Houve
uma invasão de campo do banco do Atlético, e na confusão mais dois jogadores
foram expulsos, Palhinha e Chicão. A polícia então foi para o campo. Aos 37
minutos o quinto e último expulso do Atlético, agora o defensor Osmar
Guarnelli. Com só seis jogadores no time do Atlético, Wright não tinha escolha
– a partida foi abandonada. O juiz foi embora, de cabeça erguida e orgulhoso, e
o Flamengo foi declarado vitorioso”, encerra a citação de Dempsey.
O
fatídico duelo entre Atlético e Flamengo de 1981 era um desempate ao final da
fase de grupos daquela Liberadores. A partida, contudo, acabou encerrada após
uma confusão histórica.
Reinaldo
foi expulso aos 32 do primeiro tempo, após um carrinho por trás em Zico. Antes
dos 34, um “encontrão” com Wright quando ia bater uma falta rendeu
vermelho também a Éder, gerando uma grande confusão que acabou com Chicão e
Palhinha também indo mais cedo aos vestiários.
Já com
quatro a menos, o Atlético tentou parar a partida com algum jogador caindo por
lesão. O primeiro a cair foi o goleiro João Leite, mas Wright dispensou
qualquer atendimento, mandando o atleta se levantar. Cercado por alvinegros, o
árbitro, então, mostrou mais um vermelho, decretando o W.O.

COMENTÁRIOS: