Mesmo morno…

10
Vasco x Flamengo – Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br

BOTECO
DO FLA
: Então é hoje. Esvaziado por um campeonato organizado de forma mais
amadora que torneio de futebol de mesa feito por moleques de 10 anos de idade,
um clássico que na metade do segundo turno já não vale mais nada para uma das
partes envolvidas, longe do seu domicílio mais sensato, mas ainda assim,
Flamengo x Vasco.

O povo
de terno e gravata tenta destruir, e de tanto insistirem é muito provável que
acabem conseguindo um dia, contudo, a mística do convalescente Clássico dos
Milhões ainda garante que as atenções das duas torcidas se voltem para o jogo.
Mesmo quando você passa pelas ruas perto de casa, se em uma pelada a metade dos
jogadores veste a camisa do Flamengo e a outra metade está com a cruz de malta
no peito, dá logo vontade de parar um pouquinho e dar uma espiada.
Mesmo
em situações diferentes na tabela, um já classificado com sobras para a fase
decisiva e o outro ainda na briga, e até mesmo em momentos bem distintos na
temporada, o Flamengo com um cardápio imenso à frente: Carioqueta, Primeira
Liga, Copa do Brasil, Brasileirão #201SETE e Libertadores, tudo ainda a ser
desfrutado, e o Vasco com o Estadual e uma provável luta contra o rebaixamento
no Nacional como únicos objetivos no ano, vale pela rivalidade, mesmo que não
valha tanto assim como o Tio Eurico tenta convencer, pra jogar uma cortina de
fumaça no péssimo desempenho em um plano geral nos últimos anos.
Do
lado de cá, pelo menos ao que pareceu pelos treinos da semana, Berrío deve
entrar como titular, com Mancuello voltando a ficar um pouco mais recuado. Só
resta saber se quem vai cobrir a Licença Canarinho do Diego será o argentino ou
mais uma vez o Márcio Araújo (momento provocação à #FlaTT. Eh, eh, eh…).
Outra possibilidade é a entrada do Vizeu no lugar do Damião. De qualquer forma,
mesmo com os nossos desfalques por lesões ou convocações, a sensação é de que o
time que for pro jogo tem plenas condições de dar conta do recado.
Do
lado de lá… Do lado de lá… Eurico prometendo mais uma vitória “normal”
sobre o Flamengo e, no lugar da luta contra o Z4 no Brasileirão, vaga na
Liberta de 2018. De qualquer forma, na prática, já começou a usar a fórmula de
“sucesso” de quem flerta com péssimas campanhas e o primeiro técnico da
temporada já rodou. Milton Mendes, o novo comandante da nau, fez sua estreia
com uma vitória magra sobre o Madureira. Já encara um clássico na primeira
semana de trabalho e torce para duas coisas: para que a imensa lista de
desfalques não atrapalhe muito (Rodrigo, Luan, Kelvin, Guilherme, Wagner,
Marcelo Mattos e Martín Silva), e para que Luis Fabiano volte a marcar, coisa
que ainda não aconteceu desde que chegou a São Januário.
Fora
de campo… A gente torce para que tudo corra bem e que a turma do
racha-cabeças não estrague o espetáculo. Em inúmeras oportunidades já foi
demonstrado que no quesito segurança os jogos no Mané Garrincha deixam a
desejar quando confrontos ocorrem.
Ainda
que em tons pálidos, que rubro-negros e vascaínos de Brasília e do resto do
Planeta Bola possam apreciar uma boa partida de futebol. Que a Magia do
Clássico dos Milhões respire mais uma vez.
“Ceis”
tudo aí perdoem a mornice do texto de hoje. Fazer o que, né?
Colem
nas redes, Urubus, UruBoas e Antis
Facebook:
Mercio Querido
Twitter:
@sorinmercio

YouTube:
Canal Boteco do Flamengo

COMENTÁRIOS: