MP quer que Clubes paguem R$ 3 milhões em caso de brigas.

15
Foto: Divulgação Flamengo e Fluminense

GLOBO
ESPORTE
: São muitas as perguntas e as tentativas de solução para a realização
de clássico com as duas torcidas no Rio de Janeiro. A suspensão da liminar para
o clássico Flamengo x Vasco parecia ser o caminho para a queda da decisão
judicial em Primeira Instância. Mas não foi. O Fla-Flu está marcado para as 16h
do próximo domingo apenas com venda de ingressos para o setor destinado a
torcida do Fluminense, que ganhou direito do mando de campo por sorteio.

Após
audiência nesta tarde de quinta-feira, o juiz Guilherme Schilling manteve
integralmente a proibição da realização de clássico com duas torcidas no
estado. O Ministério Público se manifestou contrário à queda da liminar e foi
atendido na audiência desta tarde de quinta-feira. O MP agora propõe que, a
partir de segunda-feira – ou seja, no dia seguinte à final -, o clube cujo
torcedor cause lesão grave ou morte a outro torcedor arque com multa de R$ 3
milhões, mais o não comparecimento de seu torcedor em três clássicos
consecutivos. Tal condição seria o suficiente para o MP retirar a ação após o
Fla-Flu de domingo.
O
GloboEsporte.com lista abaixo as principais questões e as respostas possíveis
até agora.
Há possibilidade de adiamento da partida
ou do jogo não ocorrer?
Os
clubes evitam se pronunciar oficialmente, pois ainda confiam na reversão do
caso. Ou seja, com a queda da liminar que proíbe duas torcidas. Flamengo e
Fluminense preparam ação conjunta para derrubar a liminar. A Ferj também vai
entrar com recurso, um agravo de instrumento. A Procuradoria Geral do Estado
ainda não se manifestou. Mas a decisão pelo adiamento da partida é discutida
pelos clubes, embora considerem o aperto das datas – Fla e Flu disputam
Primeira Liga paralelamente e o Rubro-Negro estreia na Libertadores semana que
vem. O Tricolor também está em ação pela Copa do Brasil, classificado para a
terceira fase.
– A
gente acredita que consegue reverter, devemos entrar como o recurso na tarde de
hoje (quinta-feira). Vamos conversar o com Fluminense sobre todos cenários
possíveis. Acreditamos que pode ser revertida até amanhã de manhã. É uma ação
conjunta com o Fluminense – disse o presidente do Flamengo.
O que o Ministério Público pede?
Três
dias depois da morte de um torcedor do Botafogo no clássico com o Flamengo
(jogo realizado dia 15 de fevereiro), partida que foi marcada por falta de
policiamento em meio aos protestos de famílias de policiais no Rio, o
Ministério Público entrou com ação no III Juizado Especial Criminal do Poder
Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, atentou para os violentos confronto de
torcidas e pediu torcida única nos estádios do RJ. Os argumentos do MP
convenceram o juiz que deu a liminar em caráter emergencial. O promotor Rodrigo
Terra também pedia multa de R$ 3 milhões caso se verificasse “a ocorrência
de lesão corporal grave ou homicídio em confronto entre torcidas das
agremiações rés, bem como a vedação de torcedores pelo decurso de três jogos,
no caso de tal ocorrência.”
Nesta
tarde de quinta-feira, o MP divulgou comunicado e disse que vai propor Termo de
Ajustamento de Conduta (TAC), a partir de segunda-feira. O Ministério Público
quer que um clube se responsabilize e pague multa de R$ 3 milhões caso
organizada cause lesão grave ou morte. Além disso, o TAC, que teria que contar com
anuência dos quatro grandes, propõe proibição do comparecimento dos torcedores
do respectivo time por três clássicos consecutivos.
Com torcida única, quem fica com a renda
do clássico?
O
regulamento da competição prevê o seguinte no artigo 51: “O resultado
financeiro da partida, apurado em borderô, será todo do clube que tiver o mando
de campo, exceto quando houver a participação de qualquer um dos chamados
clubes grandes (Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco), casos em que a
distribuição do resultado será na proporção de 60% para o vencedor, 40% para o
perdedor e, em havendo empate, 50% para cada associação”. Qualquer mudança
nessas condições deve ser autorizada pela Ferj.
Os flamenguistas podem comprar ingresso
para o lado da torcida do Fluminense?
Não há
qualquer impedimento de um torcedor do Flamengo, sem se identificar como tal,
comprar ingresso para o lado tricolor. Em casos semelhantes – por exemplo,
quando os ingressos para vascaínos se esgotaram e houve movimento para adquirir
entrada no lado dos botafoguenses, na final do estadual de 2015 -, o Gepe
tentou inibir esse movimento e chegou, depois de identificação, a retirar
torcedores da arquibancada destinada ao adversário. O presidente do Flamengo,
Eduardo Bandeira de Mello, diz que observa o movimento, mas acredita que a
campanha de paz inibe a violência.
– Já
vimos isso (campanha), mas não vejo como força de movimento ainda. Estamos
juntos com o Fluminense na preservação da paz e do bom funcionamento do jogo.
Claro que estamos monitorando, mas esperamos que nada disso seja necessário –
afirmou Bandeira.
Há possibilidade do jogo ser transferido
para outra cidade ou outro estado?
Não,
segundo a Ferj, não há tempo hábil. Até porque os ingressos deveriam começar a
ser comercializados nesta quinta-feira. Até as 17h40, porém, não estão à venda.
Por que Flamengo x Vasco jogaram com duas
torcidas na semana passada em Volta Redonda e Fluminense x Flamengo não podem?
A
audiência da semana passada definiu, por ordem judicial, espécie de exceção à
regra – no caso, a regra era a liminar e a exceção foi a suspensão da proibição
de duas torcidas em clássicos no estado do Rio. A ação do Ministério Público é
estadual, vale em todo o estado do RJ e foi suspensa “unicamente para os
dois próximos jogos do Campeonato Estadual”, como frisou a decisão
judicial anterior. O que quer dizer que todos os clássicos devem ser com
torcida única daqui em diante. Até que a liminar seja cassada.
O que a Polícia Militar diz?
O
Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe) se manifestou contrário
à realização do clássico Flamengo x Vasco durante o Carnaval – no último sábado
– no Rio de Janeiro. Por isso aceitaram levar a partida para Volta Redonda, o
que se tornou consenso na audiência. Para esta partida de domingo, no entanto,
o major Silvio Luis, comandante do Gepe, disse que “se a Justiça
determinasse clássico com duas torcidas, o Gepe iria destacar o policiamento
adequado”. Antes da audiência, o major avisou que o Gepe atenderia o que
fosse determinado pela Justiça.

COMENTÁRIOS: