O que esperar da final desse domingo entre Flamengo e Fluminense?

15
Foto: Divulgação

UOL: Flamengo
e Fluminense decidem neste domingo (5) a Taça Guanabara. Depois de muita
polêmica e idas e vindas, o clássico acontece às 16h (de Brasília). O palco
será o Engenhão e as duas torcidas estarão presentes após decisão do
desembargador Gilberto Clóvis Farias Matos, da 15ª Câmara Cível do Rio de
Janeiro.

O
Fluminense foi definido como mandante do jogo após sorteio realizado na Ferj
(Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro), mas não existe vantagem
para qualquer um dos lados. Em caso de empate no tempo normal, o título – que
garante vaga nas semifinais do Campeonato Carioca – será decidido através das
cobranças de pênaltis.
Mas o
que esperar de mais um Fla-Flu depois de tanta confusão nos bastidores? O UOL
Esporte selecionou alguns motivos para que o torcedor não perca o clássico.
Clubes unidos e ações pela paz nos
estádios
A
dupla Fla-Flu – com apoio de Vasco e Ferj – deu uma aula de união nos dias que
antecederam ao clássico. Os clubes voltaram a alinhar o discurso e estreitaram
laços. As rusgas ficaram no passado por um interesse em comum. A postura,
sobretudo do Tricolor, foi exemplar.
O
Fluminense tinha o mando de campo, mas se recusou a pisar no gramado com
torcida única. Tanto que os clubes foram ao TJD-RJ (Tribunal de Justiça
Desportiva do Rio de Janeiro) e se precaveram solicitando a autorização para
jogar com portões fechados. O pedido foi deferido. Ou seja, se a liminar não
tivesse caído, o Fla-Flu seria disputado sem público no Engenhão, em uma clara
demonstração de união entre os rivais.
Antes
de a bola rolar para a final, os clubes farão ações pela paz nos estádios.
Também haverá um trabalho de conscientização dos torcedores dentro e fora do
Engenhão. A expectativa das diretorias é a de que não ocorra confrontos,
principalmente depois de todo o esforço realizado para receber as duas
torcidas.
Esquema de guerra? Segurança terá 830
agentes
Apesar
do discurso alinhado, prevenir nunca é demais. Quem for ao Engenhão verá um
verdadeiro “esquema de guerra” montado. Pelo menos 830 agentes de
segurança serão responsáveis pela manutenção da ordem dentro e fora do estádio.
O
plano de jogo prevê 160 policiais do Gepe (Grupamento Especial de Policiamento
em Estádios), 220 homens da PM (incluindo 3º BPM, Cavalaria, Batalhão de Choque
e Batalhão de Ações com Cães) e mais 300 seguranças particulares. O efetivo
ainda contará com 138 guardas municipais e 12 policiais civis.
Clássico disputado! Título vale
tranquilidade tão desejada
Apesar
de se tratar de um título de turno, a Taça Guanabara é desejada pelos dois
clubes. Tanto que ambos entrarão com o que têm de melhor disponível em busca de
levantá-la ao final da partida. O motivo é fácil de ser explicado.
Conquistar
a Taça Guanabara garante ao vencedor uma vaga nas semifinais do Campeonato Carioca.
Mais do que isso, passa a tranquilidade necessária para poupar os titulares na
Taça Rio e se dedicar aos outros objetivos da temporada.
O
Fluminense, por exemplo, poderá se concentrar na Copa do Brasil e na Copa
Sul-Americana. Já o Flamengo terá olhos apenas para a sonhada Copa
Libertadores.
Vale ficar de olho: o selecionável Diego
pelo Flamengo
Diego
é o nome do Flamengo há seis meses. Convocado para a seleção brasileira pelo
técnico Tite, o camisa 35 perdeu apenas um jogo oficial pelo Rubro-negro desde
que chegou. São 24 partidas, com 17 vitórias e seis empates. Os números são
invejáveis, como o índice de 92% de acerto nos passes.
Sem
dúvida, o meia receberá atenção especial dos tricolores e vê os rubro-negros
depositarem esperança em seu talento. Vale ficar de olho em Diego. O já ídolo
da torcida será um dos pontos principais da decisão da Taça Guanabara.
Vale ficar de olho: o equatoriano Sornoza
pelo Fluminense
Outra
figura importante da final será o equatoriano Sornoza. O meia do Fluminense
vive grande fase e funciona como uma espécie de engrenagem no Tricolor. Ele vem
dos dois primeiros gols marcados pelo clube.
Na
vitória por 3 a 1 sobre o Sinop, em partida pela Copa do Brasil, Sornoza
desequilibrou. Geralmente, o Fluminense vai bem quando ele funciona. Não falta
torcida dos tricolores para que a dose seja repetida no Engenhão.
Abel, a estrela tricolor no banco de
reservas
Talvez
a principal estrela do Fluminense neste domingo esteja no banco de reservas.
Como se diz no futebol, Abel Braga chegou e colocou ordem na casa. O time que
esbarrava nas próprias limitações e demonstrava até mesmo “falta de
alma” – denominação do treinador -, ficou no passado.
Mesmo
com dúvidas, já que não sabe se contará com Orejuela e Gustavo Scarpa, o Abelão
é só emoção com a possibilidade de ser campeão em mais um Fla-Flu.
“Aqui
me sinto em casa. Estou feliz. Não tem 40 dias que fiz o primeiro jogo oficial.
Precisamos de uma vitória na Primeira Liga para avançar, passamos duas fases da
Copa do Brasil e estamos na final da Taça Guanabara. Espero continuar a ser
feliz do lado de cá”, afirmou.
Zé Ricardo, o novato em busca do primeiro
título
Se o
Fluminense tem uma estrela no banco de reservas, o Flamengo tem um novato doido
para celebrar o primeiro título da carreira. Zé Ricardo assumiu o Rubro-negro
em um momento difícil – saída de Muricy Ramalho por problemas de saúde -, mas
teve competência e impôs a forma de trabalhar.
Elogiado
pela velha guarda dos treinadores, o calouro está cada vez mais próximo do
sonhado título. Como o próprio disse em vídeo vinculado pela Fla TV e que
viralizou entre os torcedores do Flamengo: “Voos de urubu, são voos altos,
amplos. E a gente vai buscar coisa bonita, coisa grande esse ano”.
“Espero
conquistar tudo que o Abel conquistou. Ele é campeão mundial. Espero que seja
um primeiro passo. É um exemplo para os jovens treinadores. Estou ansioso para
cumprimentá-lo antes do jogo, pois tem uma história linda, principalmente aqui
no Rio de Janeiro. Vamos tentar fazer um grande jogo, sem deixar que o
Fluminense nos surpreenda”, encerrou.

COMENTÁRIOS: