Polícia cumpre mandado contra rubro-negros e Jovem do Flamengo.

30
Material apreendido durante operação contra torcedores envolvidos na morte do torcedor botafoguense
(Jose Lucena/Futura Press/Folhapress)

GLOBO
ESPORTE
: A Polícia do Rio realiza uma grande operação na manhã desta
quinta-feira (23) para cumprir 20 mandados de prisão temporária contra
integrantes da Torcida Jovem do Flamengo. Oito suspeitos teriam participado
diretamente da morte do torcedor do Botafogo Diego Silva dos Santos, 28 anos,
no dia 12 do mês passado. O crime aconteceu no entorno do Estádio Nilton Santos
antes de uma partida entre os dois times no Campeonato Carioca.

– A
gente percebeu, no meio dessa investigação, alguns detalhes sobre as torcidas
organizadas. A gente não consegue entender como as pessoas que lidam com o
futebol não se preocupam de forma particularizada com as brigas entre
torcedores. Uma grande parte é de pessoas de bem, mas uma parte pequena e
barulhenta causa lesões graves e mortes. Queríamos fazer um apelo sobre as
torcidas organizadas. O que aconteceu nos remete a era medieval. A gente sugere
que os clubes e federações, que a CBF tenham alguma atividade sobre o controle
e sobre a existência as torcidas organizadas. Para que elas sejam
regulamentadas. Um grupo pequeno não pode causar um tumulto tão grande –
destacou o delegado Rivaldo Barbosa, diretor da Divisão de Homicídios.
Cerca
de 130 agentes e seis delegados das Divisões de Homicídios do Rio de Janeiro,
Niterói, São Gonçalo, Baixada Fluminense, além da Coordenadoria de Recursos
Especiais (Core), participaram da ação. Eles também cumpriram 14 mandados de
busca e apreensão.
Na
casa dos suspeitos os agentes apreenderam uma grande quantia em dinheiro,
porretes, soco inglês, morteiros e acessórios da torcida organizada do
Flamengo. 
De
acordo com a investigação, dos 2.100 integrantes da Torcida Jovem do Flamengo,
pelo menos 12 estavam foragidos por crimes como homicídio, roubo e dano ao
patrimônio. Os oito suspeitos de matar o torcedor alvinegro teriam golpeado a
vítima com um espeto de churrasco roubado de um bar. Diego morreu de hemorragia
interna e externa. Segundo o laudo do Instituto Médico Legal, Diego morreu após
ter sido atingido várias vezes por um objeto “perfuro contundente”.

COMENTÁRIOS: