Presidente diz que já esperava erro contra o Flamengo.

13
Foto: Divulgação

GLOBO
ESPORTE
: Antes mesmo de ser anunciado o afastamento de Luis Antonio Silva dos
Santos, que marcou pênalti inexistente a favor do Vasco no fim do empate entre
cruz-maltinos e flamenguistas por 2 a 2 em Brasília, o presidente do Flamengo,
Eduardo Bandeira de Mello, afirmou que não faria qualquer representação na
federação contra o Luis Antonio. Motivo: para ele, acredita que queixas feitas
à Ferj não surtem efeito. Não poupou críticas a Luis, conhecido como Índio.


Adianta alguma coisa falar com a Ferj? A Ferj é isso que vocês viram aí. O
nível de arbitragem é esse. Esse árbitro é isso que a gente sabe, todo mundo
conhece. Eu deixo vocês avaliarem. De repente os especialistas descobrem que o
Renê efetivamente botou a mão na bola efetivamente. Que no gol anulado estavam
todos impedidos, que a arbitragem foi perfeita e que o Campeonato Carioca é uma
torneio em que as coisas funcionam de maneira imparcial para todos – afirmou,
ironicamente.
Bandeira
disse não ter se assustado com o erro contra o Flamengo, julgando que esse tipo
de equívoco acontece de forma corriqueira em torneios organizadas pela
Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj)
– Como
falei, acho que era esperado. Campeonato Carioca acontece sempre isso, e não
foi surpresa para ninguém. Vou deixar para vocês interpretarem, mas é só ver os
históricos do Carioca para ver que não é uma coisa extemporânea.

Questionado
se viu má-fé na marcação de Luis Antonio Silva dos Santos, o Índio, Bandeira
não quis entrar no mérito, mas deixou clara a sua insatisfação.
– Acho
que o que eu falei reflete o meu ponto de vista, é o ponto de vista de muitas
pessoas, mas. Se houve ou não… Aliás, se houve ou se há sempre má-fé, eu vou
deixar a critério de vocês. Quem sou eu para acusar as pessoas de má-fé? –
encerrou.

COMENTÁRIOS: