Veja os maiores campeões Estaduais do Brasil!

48
Torcida do Flamengo celebra hegemonia no Campeonato Carioca – Foto: Divulgação

LANCE:
Em
plena disputa de competições estaduais, LANCE! recorda quais são os clubes que
mais se deram bem na hora do embate entre os rivais regionais.

Flamengo – 33 títulos cariocas
Mesmo
com seu título mais recente sendo em 2014, o Rubro-Negro segue como o maior
vencedor do Campeonato Carioca. Curiosamente, esta conquista aconteceu 100 anos
após seu primeiro título na competição regional.
Corinthians – 27 títulos paulistas
No
Campeonato Paulista, o Corinthians honra o verso “o campeão dos
campeões” presente no hino de seu clube. O Timão não fatura o título desde
o ano de 2013.
Atlético – 43 vezes campeão mineiro
O
maior colecionador de títulos do Campeonato Mineiro é o Atlético. Na história
do Estadual, o Galo obteve 43 conquistas, deixando para trás outros rivais
tradicionais e rótulos. O título mais recente do clube em Minas veio em 2015,
quando superou a Caldense.
Internacional – 45 vezes campeão gaúcho
O fato
de contar com uma sucessão de títulos que vieram em sequência no Gauchão tornou
o Internacional o maior vencedor do Rio Grande do Sul. São 45 conquistas, a
mais recente delas no ano passado, quando superou o Juventude.
Figueirense – 17 títulos catarinenses
O
Figueirense vem levando a melhor na disputa acirrada pelo trono de Santa
Catarina. Atualmente, a equipe tem 17 títulos (um a mais que o Avaí, outro
adversário de peso local). A mais recente conquista veio em 2015, na Justiça:
rival na final, o Joinville perdeu quatro pontos por escalar irregularmente um
jogador e o Figueira foi homologado campeão.
Coritiba – 37 títulos paranaenses
O
domínio do Coritiba no Campeonato Paranaense é bastante visível. Atualmente, o
clube tem 37 conquistas (a mais recente no ano do bicampenato de 2013). Mesmo o
longo tempo sem comemorar exige que os rivais sejam obrigados a correr.
Bahia – 46 títulos baianos
Outro
amplo domínio local é visto no Campeonato Baiano. O Bahia tem 46 títulos
estaduais (quase o dobro do Vitória), e sua conquista mais recente data de
2015.
Sport – 40 títulos pernambucanos
O
Campeonato Pernambucano tem soberania em vermelho e preto. O Sport tem 40
conquistas no Campeonato Estadual. A mais recente data do ano de 2014, mas ainda
é pouco para os rivais o alcançarem.
Ceará – 43 títulos cearenses
Já a
disputa no Campeonato Cearense é para lá de equilibrada. No momento, o Ceará
tem 43 conquistas e é o maior vencedor do estado. Porém, vê de perto a chegada
do Fortaleza (que tem dois títulos a menos).
Paysandu
– 46 campeonatos paraenses
A soberania no Campeonato Paraense traz
“uma listra branca, outra listra azul,
essas são as cores do
Papão da Curuzu”; O Paysandu é o maior detentor de títulos, ao dar volta
olímpica por 46 vezes – a mais recente em 2016. Porém, a rivalidade Re-Pa segue
quente: o Remo, maior rival do Paysandu, tem 44 títulos.
Sampaio Corrêa – 32 títulos maranhenses
O
maior vencedor do Maranhão atende pelo nome de Sampaio Corrêa. Mesmo sem dar
volta olímpica desde 2014, a Bolívia tem 32 conquistas, e tem o Moto Club bem
distante ao seu retrovisor.
Goiás – 26 vezes campeão goiano
A
conquista de 2016 fez o Goiás chegar a 26 títulos do Campeonato Goiano e
disparar ainda mais na sua hegemonia local. O Esmeraldino faturou mais vezes a
competição do que a soma dos outros dois rivais regionais que estão mais
próximos (o Vila Nova tem 15 títulos e o Atlético-GO, com oito conquistas)
ABC – 53 vezes campeão potiguar
A
soberania do Campeonato Potiguar está nas mãos do ABC. O clube do Frasqueirão,
que, em 2016, voltou a comemorar um título após cinco anos de jejum, tem mais
títulos do que a soma dos demais campeões (América-RN, com 35, Alecrim tem
sete, enquanto Potiguar conquistou duas vezes e Santa Cruz-RN, Baraúnas e
Corintians-RN, uma vez cada.
Gama – 11 vezes campeão brasiliense
A
dianteira na hegemonia do Candangão pertence ao Gama. O clube tem 11 conquistas
do Campeonato Brasiliense (a mais recente em 2015). Porém, o Gama tem rivais em
seu encalço: o Brasiliense e o Taguatinga têm oito títulos cada um.
Botafogo – 27 títulos paraibanos
Brilha
uma estrela vermelha para apontar o maior vencedor do Campeonato Paraibano, um
dos mais antigos realizados no Brasil. O Botafogo faturou 27 vezes o título
estadual (o mais recente em 2014), deixando para trás rivais tradicionais como
Campinense e Treze.
Rio Branco – 45 vezes campeão acriano
Ninguém
tem dúvida da superioridade do Rio Branco no Acre. São 45 títulos conquistados
(o primeiro em 1919 e o mais recente em 2015), e um feito curiosíssimo: o clube
tem três vezes mais estaduais do que o segundo colocado, o Juventus, com 14 em
seu currículo.
CSA – 37 vezes campeão alagoano
A
soberania de Alagoas se resume em três letras: CSA. Mesmo sem dar uma volta
olímpica desde 2008, o clube traz 37 títulos em sua história, deixando para
trás o maior rival CRB (com 29).
Sergipe – 34 campeonatos sergipanos
Honrando
a responsabilidade de ostentar o nome do estado, o Sergipe é o maior campeão
sergipano, com 34 conquistas em sua história (a mais recente, no ano passado).
Sua tradição é tamanha que o número de títulos supera o dos outros dois clubes
que têm muitos títulos estaduais: o Confiança tem 20, enquanto o Itabaiana
possui dez.
River – 30 campeonatos piauienses
O
Campeonato Piauiense também traz uma superioridade com folga no posto de maior
vencedor. Ao dar a volta olímpica em 2016, o River chegou a 30 conquistas,
também somando o número de títulos de outros dois rivais: Flamengo, com 17 e
Parnahyba, com 11.
Nacional – 43 vezes campeão amazonense
A
hegemonia no Campeonato Amazonense atende pelo nome do Nacional. O clube tem 43
conquistas (a mais recente em 2015), e chega a mais do que o triplo do outro
clube que mais faturou títulos estaduais: o Rio Negro tem 16.
Ferroviário – 17 títulos rondonienses
Estadual
que só conheceu profissionalização em 1991, o Campeonato Rondoniense tem como
maior vencedor um clube já extinto: o Ferroviário, com 17 conquistas. O clube,
que deu sua derradeira volta olímpica em 1989, fechou as portas no ano
seguinte. O Moto Clube, com dez títulos (ao lado do extinto Flamengo), é o mais
próximo de alcançar o Ferrim.
Baré – 23 campeonatos roraimenses
O
Campeonato Roraimense foi outro a demorar a conhecer profissionalização:
somente em 1995, após ser disputado como amador entre 1950 e 1994 com aval da
Federação. O Baré é o maior detentor de títulos somando as duas épocas, com 23
estaduais. Porém, na fase “profissional”, o posto é perdido para o
Atlético, que tem 20 no total (18 profissionais)
Macapá – 17 vezes campeão amapaense
Nem mesmo
o longo jejum vem tirando do Macapá o posto de maior detentor de Campeonatos
Amapaenses. São 17 conquistas (a mais recente datada de 1991) do clube, que já
esteve na Segundona. O mais próximo dele é o Amapá, que tem dez títulos.
Gurupi – seis vezes campeão tocantinense
Com
realização de Estaduais desde 1989, o Tocantins, mais “jovem” estado
vê uma disputa acirrada pela hegemonia. 
Com o título de 2016, o Gurupi ficou na frente, com seis títulos
tocantinenses (um a mais do que o Tocantinópolis).
Mixto – 24 vezes campeão mato-grossense
Clube
mais popular do Mato Grosso, o Mixto honra sua hegemonia no Estadual mesmo com
um jejum que dura desde 2008. São 24 títulos estaduais – exatamente o dobro do
Operário, que tem 12.
Operário – dez vezes campeão sul-mato-grossense
A
disputa pelo posto de melhor do Mato Grosso do Sul segue ano a ano. E quem sai
na frente atualmente é o Operário: são dez títulos, um a mais do que outro
rival pesado local, o Comercial.
Rio Branco – 37 vezes campeão capixaba
fato
de ter amargado alguns períodos de jejum (o maior deles de 25 anos) não tirou o
Rio Branco do posto de melhor do Espírito Santo. Com 37 títulos no Campeonato
Capixaba (o mais recente deles em 2015), o clube capa-preta ainda viu os outros
rivais passarem por altos e baixos. O adversário mais próximo em títulos é a
Desportiva, com 18.

COMENTÁRIOS: