CBF autoriza Clubes a revogarem direito pela venda de mando.

22
Estádio Kleber Andrade, em Cariacica, costuma receber jogos do Flamengo – Crédito: Staff Images/ Flamengo

JORNAL
DE BRASÍLIA:
A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou a tabela
detalhada das primeiras 10 rodadas do Campeonato Brasileiro e duas partidas
chamam a atenção por uma ausência de informação: o local segue indefinido.
Agendados para 13 e 14 de maio, Flamengo x Atlético-MG e Fluminense x Santos,
respectivamente, ainda precisam encontrar um estádio apto a receber os duelos.

Essa
situação poderia ser resolvida, por exemplo, caso a CBF – após votação dos
clubes da Série A – não tivesse vetado a venda de mandos de campo na
competição. Como o Rio de Janeiro ainda passa por problemas de concessão em
relação ao Maracanã, seria natural a opção dos clubes em procurar uma praça
fora do estado.
Ciente
das dificuldades, a CBF admite que essa decisão pode ser revogada. Presente no
Workshop CBF + Saúde, em Brasília, na última sexta-feira, o secretário geral da
CBF, Walter Feldman, disse que essa mudança depende do poder de persuasão dos
clubes interessados na mudança.
“As
pendências do Brasileirão devem ser resolvidas pelas 20 equipes das Séries A,
B, e assim por diante. As questões são decididas a partir de um conselho
técnico”, explica Feldman.
“A CBF
não tem autonomia para mudar isso. Os times que se sentirem lesados, podem
tentar revogar a decisão”, reforça o diretor. Ainda de acordo com Feldman,
alguns clubes já estão providenciando a anulação da medida.
O novo
cronograma gerou polêmica em alguns estados e no Distrito Federal. “A CBF
entende a reivindicação de clubes e de torcedores, principalmente por causa das
arenas construídas para a Copa do Mundo, que terão dificuldades em se manter,
mas a nova medida teve de ser tomada”, menciona o secretário geral.
Sucesso
Polêmica
à parte, Walter Feldman confia no sucesso do Campeonato Brasileiro de 2017.
“Modernizamos
a tabela compreendendo a importância dos campeonatos estaduais, regionais e
nacionais, que não se resume apenas no Brasileirão e na Copa do Brasil”, diz o
secretário. Ele acrescenta que a tabela tem de se adaptar também as datas FIFA.
“Esse calendário é dinâmico e não prejudica as competições. Pode ser um pouco
mais cansativo, mas tivemos que adaptá-lo”, esclarece Feldman.
Flamengo diz não ao Maracanã
Após a
confirmação do acerto entre Lagardère e Odebrecht sobre a administração do
Maracanã, o Flamengo informou que não pretende utilizar o estádio para mandar
os seus jogos. O clube defende que uma nova licitação seja realizada, assim
como indicava a prefeitura do estado até ontem.
“O
Flamengo continua entendendo que o melhor caminho para o estádio é uma nova
licitação. E novamente afirmo que se a Lagardère assumir nós não jogaremos mais
lá”, disse Eduardo Bandeira de Mello, presidente do clube.
O time
rubro-negro não tem boa relação com a BWA, parceira da Lagardère em outros dois
estádios – Arena Independência e Castelão. Bandeira já ressaltou inúmeras vezes
que não é favorável a “atitudes de seus representantes e de seus parceiros.”
Neste
ano, a equipe rubro-negra utilizou o Maracanã apenas uma vez. Foi no dia 8 de
março, em partida contra o San Lorenzo, na estreia da Libertadores. A segunda
está marcada para a próxima quarta-feira, contra o Atlético-PR.
No
estádio, a equipe obteve o maior público do país em 2017 com 54.052 torcedores.

COMENTÁRIOS: